Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/10058
Título: Estudo da atividade biológica e avaliação da aplicação do corante de Hylocereus undatus (Haw.) Britton & Rose (Cactaceae) em cosmético labial
Autor(es): Silva, Camila Gama da
Orientador(es): Candido, Lys Mary Bileski
Palavras-chave: Antioxidantes
Corantes
Testes de toxicidade
Cosméticos - Indústria
Química Antioxidants
Antioxidants
Colorings matter
Toxicity testing
Cosmetics industry
Chemistry
Data do documento: 1-Dez-2017
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Curitiba
Referência: SILVA, Camila Gama da. Estudo da atividade biológica e avaliação da aplicação do corante de Hylocereus undatus (Haw.) Britton & Rose (Cactaceae) em cosmético labial. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Química) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2017.
Resumo: A Hylocereus undatus, também chamada de pitaya e popularmente conhecida como fruta-do-dragão, do inglês, dragon fruit, é conhecida por suas propriedades benéficas ao consumo humano e o corante da casca já é utilizado em alimentos em diversos países. Neste trabalho foram estudadas as atividades biológicas da fruta e a avaliação da aplicação o corante da casca em duas formulações cosméticas. A casca foi seca em estufa durante cinco dias a 50 °C. A polpa foi processada em uma centrífuga de sucos tipo juicer e peneirada para separação das sementes, depois foi liofilizada e congelada. A partir da casca foram obtidos os extratos: cetônico (CT), hidroalcoólico (HA), etanólico (ET), e um etanólico-aquoso (ETA) formado no vidro do balão durante a concentração do extrato bruto em rotaevaporador. O extrato bruto cetônico foi particionado em frações hexano (CH), clorofórmio (CC) e acetato de etila (CAC), entretanto, o bruto não foi utilizado nos ensaios. O teor de umidade e cinzas para a casca seca foram, respectivamente, (13,41 ± 0,07)g% e (9,65 ± 0,03)g% e para a polpa liofilizada, respectivamente, (3,4 ± 0,1)g% e (12,2 ± 0,1)g%. A concentração eficiente (CE50) dos extratos para decrescer em 50% a concentração inicial de 2,2-diphenyl-1-picrylhydrazyl (DPPH), foi igual a 532,12 μg/mL, 813,12 μg/mL e 1322,79 μg/mL para os extratos ET, ETA e HA e 125,35 μg/mL, 130,98 μg/mL e 732,71 μg/mL para CC, CAC e CH, respectivamente, o que representa baixa atividade antioxidante quando comparado aos padrões ácido ascórbico (4,92 µg/mL) e rutina (6,16 µg/mL). Nenhum dos extratos foi caracterizado como tóxico quando submetido ao teste de toxicidade in vitro com Artemia salina. No teste de hemólise in vitro, os extratos etanólicos não apresentaram atividade hemolítica. O brilho e o bálsamo labial formulados tiveram alteração de cor pós formulação, supõe-se que houve degradação da betalaína (cor rosa) para ácido crômico (cor amarela) devido ao pH alcalino destes cosméticos.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/10058
Aparece nas coleções:CT - Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CT_COLQUI_2017_2_11.pdf1,71 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.