Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/10473
Título: Extração aquosa de compostos fenólicos presentes em folhas de amoreira preta (Morus nigra L) e encapsulamento em esferas de alginato de cálcio
Autor(es): Souza, Crisiane Iozwiak de
Orientador(es): Sydney, Alessandra Cristine Novak
Palavras-chave: Extração (Química)
Química orgânica
Antioxidantes
Fenóis
Amora
Extraction (Chemistry)
Chemistry, Organic
Antioxidants
Phenols
Mulberry
Data do documento: 21-Nov-2018
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Ponta Grossa
Referência: SOUZA, Crisiane Iozwiak de. Extração aquosa de compostos fenólicos presentes em folhas de amoreira preta (Morus nigra L) e encapsulamento em esferas de alginato de cálcio. 2018. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Engenharia Química) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, 2018.
Resumo: O chá de folhas da amoreira preta é amplamente utilizado na medicina tradicional por possuir efeitos antioxidantes. Estes efeitos podem estar relacionados com a presença de compostos fenólicos na planta. Por serem altamente reativos, suscetíveis à ação de enzimas, apresentarem baixa solubilidade e possuírem baixa meia vida no sistema gastrointestinal, é necessário extrair rapidamente os compostos fenólicos e evitar sua degradação antes de começarem a ser absorvidos pelo organismo. Uma solução para isto é a extração por infusão e em seguida encapsulamento. O encapsulamento é um processo no qual filmes finos, geralmente de materiais poliméricos, são aplicados a pequenas partículas sólidas, líquidos ou gotículas de gases. Esse método é usado para interceptar componentes ativos e liberá-los sob condições controladas. Neste aspecto, este trabalho tem como objetivo a otimização do processo de extração aquosa e o encapsulamento dos compostos fenólicos presentes nas folhas de amoreira preta. Esferas de alginato de cálcio úmido e seco foram avaliadas e comparadas em relação à sua eficiência do conteúdo fenólico total (TPC), com base nos efeitos causados pelas condições de armazenamento. Altos valores de eficiência de encapsulamento foram obtidos para as esferas úmidas (83,5%) e secas (92,5%). A secagem, afetou significativamente o tamanho e a morfologia das esferas e provou ser um método apropriado para a preservação de polifenóis encapsulados. A liberação de fenólicos encapsulados em água foi medida para analisar a difusão e o comportamento cinético do sistema. Quanto à estabilidade, analisada por 28 dias, as esferas de alginato de cálcio úmidas armazenadas em frascos contendo o extrato otimizado apresentaram TPC significativamente maior quando comparadas ao mesmo tipo de esferas armazenadas em água. Pelo presente estudo pode-se verificar que a técnica de encapsulamento de extrato de Morus nigra L em esferas de alginato de cálcio é altamente eficaz para aprisionar os bioativos desejados e retardar seu perfil de liberação.
Abstract: The black mulberry, belong to the genus Morus, which has secondary metabolites, mainly phenolic compounds. These compounds are known to act in the inhibition of oxidation reactions, having antioxidant properties. They are highly reactive, susceptible to enzyme action, had low solubility and have a half-life gastrointestinal system. It is necessary to quickly extract the phenolic compounds and to avoid their degradation before starting to be absorbed by the body. One solution to this is an infusion extraction and followed encapsulation. Encapsulation is a process in which thin films, usually of polymeric materials, are applied to small solid particles, liquids or droplets of gases. This method is used to intercept active components and release them under controlled conditions. This work aims to optimize the process of extracting and encapsulating phenolic compounds from black mulberry leaves. Wet and dried calcium alginate beads were examined and compared in relation to their total phenolic compounds (TPC) and entrapment efficiency based on the effects caused by storage conditions. High encapsulation efficiency values were obtained for the wet (83.5%) and for the dried (92.5%) beads. Drying significantly affected bead size and morphology and proved to be an appropriate method for preservation of encapsulated polyphenols. Release of encapsulated polyphenols in water was measured to analyse the diffusion and kinetic behaviour of the system. Regarding of the stability, analyzed for 28 days, wet calcium alginate beads stored in flasks containing the optimized extract showed significantly higher TPC when compared to the same type of beads stored in water. By the present study it can be verified that the encapsulation technique of Morus nigra L extract in calcium alginate spheres is highly effective in capturing the desired bioactives and delaying their release profile.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/10473
Aparece nas coleções:PG - Engenharia Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PG_COENQ_2018_2_07.pdf1,79 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.