Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/10558
Título: Desenvolvimento de doce para diabéticos utilizando matchá (Camellia sinensis)
Título(s) alternativo(s): Sweet development for diabetic with matchá (Camellia sinensis)
Autor(es): Hasunuma, Ioshimi Lilian Watanabe
Suenaga, Nolam Ryuki Miazato
Orientador(es): Terrile, Amélia Elena
Palavras-chave: Polifenóis
Chá verde
Diabetes
Espectroscopia de infravermelho
Polyphenols
Green tea
Infrared spectroscopy
Data do documento: 28-Nov-2018
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Londrina
Referência: HASUNUMA, Ioshimi Lilian Watanabe; SUENAGA, Nolam Ryuki Miazato. Desenvolvimento de doce para diabéticos utilizando matchá (Camellia sinensis). 2018. 31 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Londrina, 2018.
Resumo: O consumo por alimentos benéficos à saúde vem conquistando cada dia mais adeptos a procura por melhor qualidade de vida, principalmente quando se trata de indivíduos com restrições como o consumo de açúcar (Diabetes mellitus). Pensando nessas restrições, pesquisou-se sobre as propriedades do Matchá (chá solúvel) produzido a partir da moagem das folhas da Camellia sinensis, sua composição química constituída por polifenóis especialmente as catequinas como substâncias bioativas, para posterior confecção de um doce adicionado de Matchá. Nas análises físico-químicas, foram determinados o teor de umidade, cinzas, proteínas, lipídios e carboidratos. Os resultados da espectroscopia na região do infravermelho demonstraram maior quantidade de epigalocatequina galato no Matchá importado em comparação ao nacional. Utilizando o Matchá importado elaborou-se o doce, a espectroscopia na região do infravermelho do doce, demonstrou que mesmo após a cocção, a intensa banda em 1030 cm-1 manteve-se sem alteração no teor de epigalocatequina galato, mostrando que o composto está presente no doce praticamente sem alteração na sua quantidade.
Abstract: The consume of healthy food are conquering more and more followers, looking for better quality of life, mainly when they are individuals with restrictions as to consumption of sugar (Diabetes mellitus). Thinking about this restriction, Matchá (soluble tea) produced from the grinding of the leaves Camelia sinensis properties were searched, and their bioactives substances for later confection of an addicted sweet of Matchá. In physical-chemical analyses were determined the moisture content, ashes, proteins, lipids and carbohydrates. The results of infrared spectroscopic region, show higher amounts of epigallocatechin gallate in imported Matchá than national. Using the imported Matchá, was elaborated the sweet, and the infrared spectroscopic region, showed that even after cooked, the intensed band in 1030cm^-1, remained unchanged in terms of epigallocatechin gallate, showing that the compound is present in the sweet and practically unchanged their quantity.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/10558
Aparece nas coleções:LD - Tecnologia em Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LD_COALM_2018_2_04.pdf577,38 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.