Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/10631
Título: O olhar além do campo da visão: uma leitura da cegueira em Mia Couto
Título(s) alternativo(s): The look beyond the field of vision: a reading of blindness in Mia Couto
Autor(es): Leon, Carolina Brocardo de
Orientador(es): Marquezi, Rosangela Aparecida
Palavras-chave: Literatura africana
Couto, Mia |d 1955-
Literatura moçambicana
African literature
Couto, Mia |d 1955-
Mozambican literature (Portuguese)
Data do documento: 7-Dez-2017
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Pato Branco
Referência: LEON, Carolina Brocardo de. O olhar além do campo da visão: uma leitura da cegueira em Mia Couto. 2017. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco, 2017.
Resumo: Mia Couto é um escritor moçambicano da atualidade que vem ganhando destaque com suas obras, as quais impressionam os leitores devido ao seu caráter inovador. A produção desse escritor engloba romances, poesias, crônicas e também contos, nos quais retrata, muitas vezes, a vida do povo moçambicano, assim como o passado dessa nação, por meio de uma linguagem figurada. Diante disso, e a partir da constatação da presença de personagens cegas em alguns de seus contos, procurou-se, nesta pesquisa, analisar os significados da cegueira nos contos: “O cego Estrelinho” e“Noventa e três” da obra Estórias Abensonhadas (2012) e “O pescador cego”, da obra Cada homem é uma raça (2013), levando em conta o contexto histórico do país, que foi muito marcado por guerras. Assim, para a realização deste trabalho, foi feita uma pesquisa bibliográfica, a luz de teóricos que tratam a respeito da literatura africana, como Francisco Noa (2017) e Pires Laranjeira (1995; 2001), bem como dos que discutem a questão do olhar e da cegueira, como Alfredo Bosi (1988), Marilena Chaui, Adauto Novaes (1988), dentre outros. A partir deste estudo, verificou-se que a cegueira, nesses contos, é a expressão de uma nova maneira de olhar o mundo e exprime os sentimentos do povo decorrentes de acontecimentos traumáticos, como as recentes guerras que assolaram o país. O não ver das personagens traduz a insatisfação do povo moçambicano diante desses fatos e expressa o desejo do porvir de tempos melhores. Dessa forma, a cegueira assume uma forma de reivindicação de um lugar melhor para viver. A partir desses resultados, espera-se que esta pesquisa contribua criticamente para o estudo de Mia Couto e da literatura africana, bem como sobre a questão da cegueira e seus significados.
Abstract: Mia Couto is a current Mozambican writer who has been gaining prominence with his works, which impress the readers because of their innovative character. The production of this writer includes novels, poetry, chronicles and also short stories, in which he often portrays the life of the Mozambican people, like his past, through a figurative language. Faced with this, from the observation of the presence of blind characters in some of his short stories, the present work carried out an analysis in order to understand the meanings of blindness in the short stories: “O cego Estrelinho”, “Noventa e três” and “O pescador cego” respectively of the books:Estórias abensonhadas (2012) and Cada homem é uma raça (2013), taking into account the historical context of the country, which was marked by wars.Thus, for the accomplishment of this work, a bibliographical research was made, in the light of the theoretical ones that treat on the African literature, like Francisco Noa (2017) and Laranjeira (1995; 2001), as well as of those who discuss the question of the look and blindness, the look, such as Alfredo Bosi (1988), Marilena Chaui, Adauto Novaes (1988), among others. From this study, it was found that blindness in these stories is the expression of a new way of looking at the world and expresses the feelings of the people due to traumatic events, such as the recent wars that ravaged the country. The “not seeing” of the characters translates the dissatisfaction of the Mozambican people, facing these facts and expresses the desire of the future of better times. In this way, blindness assumes a way of claiming a better place to live. From these results, it is expected that this research will contribute critically to the study of Mia Couto and African literature, as well as on the issue of blindness and its meanings.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/10631
Aparece nas coleções:PB - Licenciatura em Letras

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PB_COLET_2017_2_06.pdf511,57 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.