Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11049
Título: Produção de extratos dos resíduos de indústria vinícola e sua avaliação antioxidante e citotóxica
Autor(es): Rocha, Amanda Michells
Orientador(es): Düsman, Elisângela
Palavras-chave: Uva
Extração (Química)
Antioxidantes
Câncer
Grapes
Extraction (Chemistry)
Antioxidants
Cancer
Data do documento: 23-Nov-2018
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Francisco Beltrao
Referência: ROCHA, Amanda Michells. Produção de extratos dos resíduos de indústria vinícola e sua avaliação antioxidante e citotóxica. 2018. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Francisco Beltrão, 2018.
Resumo: O câncer é um dos maiores problemas de saúde mundial e devido ao aumento de tumores e os efeitos secundários dos medicamentos tradicionais, torna-se necessário reconhecer novas substâncias antitumorais, especialmente as naturais. A uva (Vitis labrusca L.) possui vários compostos que são benéficos a saúde humana e é consumida de diferentes formas, em especial na forma de sucos integrais. Assim, considerando a grande geração de resíduos de uva durante a produção de seus sucos e, que este bagaço ainda possui muitos compostos bioativos presentes na fruta, buscou-se obter extratos do bagaço de uva orgânica, para aplicação em indústria farmacêutica, visando a produção de medicamento com atividade antitumoral. Os extratos foram produzidos utilizando os solventes etanol e acetato de etila, pelo método de imersão a 35°C, sendo o rendimento da extração, utilizando um S/F (solvente/massa) = 75, de 9% (etanol) e 5% (acetato de etila). O potencial antioxidante dos extratos foi realizado pelo procedimento utilizando Trolox®-DPPH, e mostrou uma concentração de 196,5 μM TEAC/100g de extrato etanólico e 178,8 μM TEAC/100g de extrato com o acetato de etila. Os efeitos citotóxicos dos extratos foram avaliados pelo teste do MTT, com a cultura de células de hepatoma de Rattus norvegicus (HTC), expostas a 24, 48 e 72 horas às concentrações de 50, 75, 100, 150, 200, 250, 500, 750, 1000 e 2500 μg do extrato/mL de meio de cultura. As concentrações testadas no tempo de 24 horas, para ambos dos extratos, não apresentaram citotoxicidade às células tumorais. No tempo de 48 horas, as concentrações de ambos os extratos proporcionaram um aumento da viabilidade celular, ou seja, causaram a proliferação das células HTC. Já no tempo de 72 horas, as concentrações de 50, 75 e 100 μg/mL do extrato obtido com o solvente acetato de etila e todas as concentrações testadas com o extrato etanólico foram citotóxicas. De forma geral, o extrato etanólico apresentou maior quantidade de compostos antioxidantes e melhor atividade antitumoral. Assim, os dados do presente estudo propõem um aproveitamento dos resíduos da indústria vinícola na indústria farmacêutica, para a produção de medicamentos antitumorais.
Abstract: Cancer is one of the biggest health problems worldwide and due to the increase of tumors and the side effects of traditional medicines, it is necessary to recognize new antitumor substances, especially the natural ones. The grape (Vitis labrusca L.) has several compounds that are beneficial to human health and is consumed in different ways, especially in the form of whole juices. Thus, considering the great generation of grape residues during the production of its juices, and that this bagasse still has many bioactive compounds present in the fruit, it was sought to obtain extracts of the organic grape marc for application in the pharmaceutical industry, aiming the production of medicament with antitumor activity. The extracts were produced using the solvents ethanol and ethyl acetate by the immersion method at 35 ° C, the extraction yield using a S / F (solvent / mass) = 75, 9% (ethanol) and 5% (ethyl acetate). The antioxidant potential of the extracts was performed using Trolox®-DPPH and showed a concentration of 196.5 μM TEAC / 100g ethanolic extract and 178.8 μM TEAC / 100g extract with ethyl acetate. The cytotoxic effects of the extracts were evaluated by the MTT test with culture of rattus norvegicus (HTC) hepatoma cells, exposed at 24, 48 and 72 hours at concentrations of 50, 75, 100, 150, 200, 250, 500, 750, 1000 and 2500 μg of the extract / ml culture medium. The concentrations tested at the time of 24 hours, for both extracts, did not present cytotoxicity to the tumor cells. At the 48 hour time, the concentrations of both extracts provided an increase in cell viability, i.e., caused the proliferation of the HTC cells. At the time of 72 hours, the concentrations of 50, 75 and 100 μg / mL of the extract obtained with the ethyl acetate solvent and all the concentrations tested with the ethanolic extract were cytotoxic. In general, the ethanolic extract presented higher amount of antioxidant compounds and better antitumor activity. Thus, the data of the present study propose a use of residues of the wine industry in the pharmaceutical industry, for the production of antitumor drugs.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11049
Aparece nas coleções:FB - Engenharia Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FB_COENQ_2018_2_01.pdf1 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.