Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11221
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorOliveira, Bruna Marieli Vanelli de-
dc.date.accessioned2019-06-05T15:58:30Z-
dc.date.available2019-06-05T15:58:30Z-
dc.date.issued2018-06-22-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, Bruna Marieli Vanelli de. Um encontro com a escrita: o caminho traçado por Raquel em A bolsa amarela. 2018. 49 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11221-
dc.description.abstractThis search presents the way taken by Raquel in A Bolsa Amarela (1976), by Lygia Bojunga Nunes, through a of his great desires: be a writer, contextualizing his other wishes and imaginary friends, who are carried by the protagonist in the yellow bag. It is also sought to associate the narrative with the life of the writer and her and her professional trajectory until being recognized in the literary milieu in the 1970s, arguing the role of women in literature (as author) and the importance of the transformations that occurred in Brazil in the late nineteenth century and in the 1950s, 1960s and 1970s. It seeks to it is evident, also, in the work the factors that affect Rachel's encounter with a literature, relating them the figure of woman in society. The bibliographical research was based on theorists that debate feminine questions, as Norma Telles (2002), Maria Rocha Coutinho (1994) and Michelle Perrot (2001, 2017), as well as who discuss the children's and youth literature Laura Sandroni. (1987), Diana Maria Marchi (2000); Marisa Lajolo, Regina Zilberman (1999), among others. From this study, it is observed that the family environment is one reason why the character presents insecurity in relation to writing, which makes him find in the imagination one of the means to escape repression. With an episode in which Raquel solve the problems of her imaginary friends and realize that the bag no longer weighs, her longings are gone, causing to free herself from the conflicts. By means of themes like these, the writer Lygia Bojunga inserts herself in the literary universe to criticize the society of the age and presents to the children a reality, at the same time that it them stimulates the imagination.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Tecnológica Federal do Paranápt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectLiteratura infantojuvenilpt_BR
dc.subjectMulheres na literaturapt_BR
dc.subjectLiteratura - Análisept_BR
dc.subjectChildren's literaturept_BR
dc.subjectWomen in literaturept_BR
dc.subjectLiterature - Analysispt_BR
dc.titleUm encontro com a escrita: o caminho traçado por Raquel em A bolsa amarelapt_BR
dc.title.alternativeAn encounter with writing: the path traced by Rachel, in A bolsa amarelapt_BR
dc.typebachelorThesispt_BR
dc.description.resumoEsta pesquisa apresenta o caminho percorrido pela personagem Raquel em A Bolsa Amarela (1976), de Lygia Bojunga Nunes, por meio de um de seus grandes desejos: ser escritora, contextualizando-a com suas outras vontades e amigos imaginários, que são carregados pela protagonista na bolsa amarela. Procura-se, ainda, associar a narrativa com a vida da escritora e sua trajetória profissional até ser reconhecida no meio literário na década de 1970, discutindo-se o papel da mulher na literatura (como autora) e a importância das transformações que ocorreram no Brasil nos anos finais do século XIX e nas décadas de 50, 60 e 70 do século XX. Busca evidenciarse, também, na obra, os fatores que afetavam o encontro de Raquel com a literatura, relacionando-os com a figura da mulher na sociedade. A pesquisa bibliográfica foi construída com base em teóricos que debatem acerca das questões femininas, como Norma Telles (2002), Maria Rocha Coutinho (1994) e Michelle Perrot (2001; 2017), bem como dos que discutem a literatura infantojuvenil, como Laura Sandroni (1987), Diana Maria Marchi (2000); Marisa Lajolo; Regina Zilberman (1999), dentre outros. A partir deste estudo, constata-se que o meio familiar é a razão pela qual a personagem apresenta insegurança em relação à escrita, o que lhe faz encontrar na imaginação um dos meios para fugir da repressão. Com a passagem de episódios em que Raquel resolve os problemas de seus amigos imaginários e percebe que a bolsa não pesa mais, seus anseios vão embora, fazendo com que se liberte dos conflitos. Por meio de temas como esses, a escritora Lygia Bojunga se insere no universo literário ao criticar a sociedade da época e apresenta às crianças a realidade, ao mesmo tempo em que lhes estimula a imaginação.pt_BR
dc.degree.localPato Brancopt_BR
dc.publisher.localPato Brancopt_BR
dc.contributor.advisor1Marquezi, Rosangela Aparecida-
dc.contributor.referee1Marquezi, Rosangela Aparecida-
dc.contributor.referee2Consoli, Marcia Oberderfer-
dc.contributor.referee3Stankiewicz, Mariese Ribas-
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentDepartamento Acadêmico de Letraspt_BR
dc.publisher.programLicenciatura em Letraspt_BR
dc.publisher.initialsUTFPRpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRASpt_BR
Aparece nas coleções:PB - Licenciatura em Letras

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PB_COLET_2018_1_02.pdf577,83 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.