Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11374
Título: Acúmulo de ácido chiquímico em biótipos de espécies convolvuláceas e rubiáceas em resposta ao glyphosate
Título(s) alternativo(s): Shikimic acid of accumulation in biotypes of convolvulaceae and rubiaceae species in response to glyphosate
Autor(es): Gobetti, Renata Caroline Rossoni
Orientador(es): Trezzi, Michelangelo Muzell
Palavras-chave: Produtos químicos agrícolas
Herbicidas
Pragas - Controle
Agricultural chemicals
Herbicides
Pests - Control
Data do documento: 30-Mai-2018
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Pato Branco
Referência: GOBETTI, Renata Caroline Rossoni. Acúmulo de ácido chiquímico em biótipos de espécies convolvuláceas e rubiáceas em resposta ao glyphosate. 2018. 47 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco, 2018.
Resumo: O bloqueio na rota do ácido chiquímico acumula elevados níveis de ácido chiquímico, que representa um resultado direto da inibição da EPSPs. A investigação dos mecanismos de tolerância permite entender a evolução da tolerância nas populações e auxilia na escolha de estratégias para controle das espécies tolerantes. O objetivo deste trabalho foi determinar, por meio da análise de chiquimato acumulado em plantas, se local de ação (enzima EPSPs) alterado ou limitação de chegada de glyphosate até os cloroplastos estão envolvidos na maior tolerância de biótipos de espécies Convolvulaceas e Rubiaceas ao glyphosate. No experimento com espécies Convolvulaceas, os tratamentos foram arranjados em fatorial 3 x 2 x 4 + 1, em que o primeiro fator foram as espécies I. grandifolia, I. indivisa e I. purpurea, o fator B os biótipos tolerante e sensível ao glyphosate e o último fator constituído por quatro períodos de avaliação após a aplicação de glyphosate (2, 8, 24 e 72 horas), mais uma testemunha sem aplicação. No experimento com espécies Rubiaceas, os tratamentos foram arranjados em um fatorial 2 x 2 x 4 + 1, em que o primeiro fator foi constituído pelas espécies R. brasiliensis e B. latifolia, o segundo fator pelos biótipos tolerante e sensível ao glyphosate o último fator constituído por quatro períodos de avaliação após a aplicação de glyphosate (2, 8, 24 e 72 horas) mais uma testemunha sem aplicação. O acúmulo de chiquimato foi determinado por análise bioquímica em laboratório. A espécie I. indivisa apresentou maior acúmulo de chiquimato no biótipo sensível ao glyphosate, totalizando um acúmulo de 1,14 e 0,94 mg de chiquimato g-1 de tecido verde (mg c. g-1 t.v.) as 72 HAT para o biótipo sensível e tolerante, respectivamente. As espécies R. brasiliensis e B. latifolia apresentaram comportamentos distintos em relação ao acúmulo de chiquimato, observando que para R. brasiliensis não houve diferença significativa entre os biótipos, enquanto Borreria latifolia apresentou maior acúmulo de chiquimato no biótipo sensível (1,92 mg ac. g-1 t.v), em comparação ao biótipo tolerante (1,64 mg ac.g-1 t.v). Foi possível evidenciar que os biótipos tolerante das espécies I. indivisa e B. latifolia acumularam menores níveis de ácido chiquímico comparado ao biótipo sensível, indicando uma limitação de chegada de glyphosate até os cloroplastos.
Abstract: The blockade on the route of the shikimic acid makes its to accumulate, which represents a direct inhibition of EPSPs. The investigation of the tolerant mechanisms allows an understanding about the evolution of the tolerance on the populations and assists on choosing the strategies for control of the tolerant species. The main objective of this work was to determine, by analysis of the accumulated shikimate on plants, if the modified action place (EPSPs enzyme) or limitation in the arrival of the glyphosate to the chloroplasts are involved on the tolerance of Convolvulaceae and Rubiaceae species to glyphosate. On this experiment with Convolvulaceae species, the treatments were arranged in a 3 x 2 x 4 + 1 factorial, whereby the first factor was the following species: I. grandifolia, I. indivisa and I. purpurea; the second factor was the sensitive and tolerant biotypes to glyphosate; and the last factor was four periods of evaluation after glyphosate application (2, 8, 24 and 72 hours), plus a witness plant without application. On the experiment with Rubiaceae species, the treatments were arranged in a 2 x 2 x 4 + 1 factorial, whereby the first factor was the following species: R. brasiliensis and B. latifolia; the second factor was the sensitive and tolerant biotypes to glyphosate; and the last factor was four periods of evaluation after glyphosate application (2, 8, 24 and 72 hours), plus a witness plant without application. The accumulation of shikimate was determined by biochemical analysis in laboratory. The I. indivisa showed a greater accumulation of glyphosate in the sensitive biotype to glyphosate, totalizing a 1,14 and 0,94 mg of shikimate build-up per green tissue gram (mg c. g-1 g.t.), on 72 HAA (hours after application) for the sensitive and tolerant biotypes respectively. The species R. brasiliensis and B. latifolia showed distinct behavior in relation to the shikimate accumulation, noting that the R. brasiliensis had no significative difference between biotypes, while B. latifolia showed higher accumulation of shikimate on the sensitive biotype (1,92 mg ac. g-1 g.t.), comparing to the tolerant biotype (1,64 mg ac. g-1 g.t.). It was possible to evidence that the tolerant biotype of the species I. indivisa and B. latifolia had accumulated less shikimic acid levels comparing to the sensitive biotype, indicating a limitation on the arrival of glyphosate to the chloroplasts.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11374
Aparece nas coleções:PB - Agronomia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PB_COAGR_2018_1_17.pdf310,1 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.