Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11399
Título: Combinações de ácidos orgânicos no controle de Aspergillus spp. micotoxigênico
Título(s) alternativo(s): Combinations of organic acids to control Aspergillus spp. mycotoxigenic
Autor(es): Ruschel, Janice
Orientador(es): Hashimoto, Elisabete Hiromi
Palavras-chave: Grãos - Armazenamento
Micotoxinas
Ácidos orgânicos
Grain - Storage
Mycotoxins
Organic acids
Data do documento: 22-Jun-2017
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Francisco Beltrao
Referência: RUSCHEL, Janice. Combinações de ácidos orgânicos no controle de Aspergillus spp. micotoxigênico. 2017. 67 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Francisco Beltrão, 2017.
Resumo: Os consumidores estão cada vez mais exigentes com a qualidade e a sanidade dos alimentos. A presença de micotoxinas na dieta é um grande risco a saúde humana e animal. Os bolores micotoxigênicos das espécies de Aspergillus flavus e Aspergillus ochraceus são responsáveis respectivamente pela produção de aflatoxina e ocratoxina, durante o armazenamento de grãos e cereais. Medidas para reduzir ou impedir a produção dessas toxinas se fazem necessárias, devido a toxicidade e a resistência a tratamentos físicos e químicos. A eliminação do bolor ou o impedimento do seu desenvolvimento destacam-se entre as medidas preventivas para evitar a contaminação por estas micotoxinas. O objetivo do trabalho foi avaliar combinações de ácidos orgânicos contra A. flavus e A. ochraceus quanto à atividade antifúngica e também o efeito destes para o controle da produção de aflatoxina por A. flavus. Através de análises in vitro determinou-se a Concentração Mínima Inibitória (CIM) dos ácidos propiônico, acético e lático contra as cepas A. flavus NRRL 3251e A. ochraceus A152. A partir da CIM foram delineados os testes para avaliar as combinações dos ácidos orgânicos contra A. flavus. A melhor combinação foi testada e aplicada em ração peletizada para controle de A. flavus toxigênico. A CIM do ácido propiônico de 0,2 % e ácido acético de 0,5% foram os ácidos orgânicos com maior atividade contra A. flavus e A.ochraceus. Nas combinações contra A. flavus a CIM de 0,025 + 0,25 % (ácido propiônico e acético) foi a de maior eficiência demonstrando a importância do sinergismo e a possibilidade de aplicar doses menores dos ácidos. Não foi possível avaliar o efeito dos ácidos orgânicos na produção de aflatoxina pela cepa NRRL 3251, embora esta seja toxigênica, a mesma não expressou a produção da toxina ao longo do experimento, provavelmente devido a problemas de armazenamento da cultura fúngica. Não foi possível avaliar o efeito dos ácidos combinados em ração peletizada artificialmente contaminada com A. flavus em virtude da baixa atividade de água da ração (~Aa 0,6) a qual representou a principal barreira para o crescimento fúngico, devendo ser realizados mais estudos e aplicado em alimentos em condições de armazenamento na qual o efeito possa ser observado. Os ácidos orgânicos apresentam atividade inibitória contra Aspergillus spp. e através deste trabalho foi possível observar que a combinação de dois ácidos permite a redução da dose aplicada. No entanto, ao transpor as análises in vitro para experimento aplicado é recomendado o estudo dos fatores intrínsecos e extrínsecos em que este experimento seja conduzido, afim de se ter condições de avaliar os melhores tratamentos.
Abstract: Consumers are more aware of the importance of consuming healthy and quality food products. The presence of mycotoxins in the diet is a major risk to human and animal health and cause severe economic losses. The mycotoxigenic molds of the genus Aspergillus are responsible for the production of aflatoxin and ochratoxin during storage of grains and cereals. There are toxins resistant to physical and chemical treatments and thus, measures to reduce or prevent the product of these toxins are necessary. The elimination of mold or the impediment of its development are preventive measures to avoid the contamination by these mycotoxins.The objective of this work was to evaluate the combinations of organic acids against A. flavus and A. ochraceus regarding the antifungal activity and the effect of these for the control of aflatoxin production by A. flavus. The Inhibitory Minimal Concentration (MIC) of propionic, acetic and lactic acids was determined through in vitro analyzes against A. flavus NRRL 3251 and A. ochraceus A152 strains. From the CIM, the tests were designed to evaluate the combinations of organic acids against A. flavus. The best combination was tested and applied in pelleted ration to control toxigenic A. flavus. The MIC of propionic acid of 0.2% and acetic acid of 0.5% were the organic acids with the highest activity against A. flavus and A.ochraceus. In the combinations against A. flavus the MIC of 0.025 ± 0.25 % (propionic and acetic acid) was the most efficient demonstrating the importance of synergism and the possibility of applying lower doses of the acids. It was not possible to evaluate the effect of organic acids on the production of aflatoxin by strain NRRL 3251, although this one is toxigenic, it did not express the production of the toxin throughout the experiment, probably due to storage problems of the fungal culture. It was not possible to evaluate the effect of the combined acids on artificially pelleted ration contaminated with A. flavus due to the low feed water activity (~ Aw 0,6), which represented the main barrier to fungal growth, and further studies And applied to food under storage conditions in which the effect can be observed. Organic acids have inhibitory activity against Aspergillus spp. And through this work it was possible to observe that the combination of two acids allows the reduction of the applied dose. However, when transposing the in vitro analysis for the experiments, it is recommended to study the intrinsic and extrinsic factors in which this experiment is conducted, in order to be able to evaluate the best treatments.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11399
Aparece nas coleções:FB - Tecnologia em Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FB_COALM_2017_1_03.pdf1,13 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.