Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11636
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorMiqueletto, Polyana Nathaly-
dc.date.accessioned2019-08-13T21:09:46Z-
dc.date.available5000-01-01-
dc.date.available2019-08-13T21:09:46Z-
dc.date.issued2017-12-07-
dc.identifier.citationMIQUELETTO, Polyana Nathaly. Associação entre as diferentes características individuais e o desempenho coordenativo: um estudo com crianças dos 6 aos 11 anos de idade. 2017. 65 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Educação Física) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2017.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/11636-
dc.description.abstractNas últimas décadas, nota-se uma tendência de declínio nos níveis de coordenação motora na infância com forte e negativa repercussão na vida adulta. Essas evidências fortalecem a urgência de um entendimento mais profundo sobre a relação que se estabelece entre a coordenação motora e suas variáveis correlatas, a que se destacam as características a nível individual. A presente proposta tem como objetivo central verificar a associação entre as diferentes características individuais, nomeadamente, IMC, níveis de atividade física (AF) e aptidão física (AptF), e os níveis de coordenação motora grossa (CMG). Foram avaliadas 327 crianças com idades entre os seis e os 11 anos, de ambos os sexos, provenientes de uma escola municipal da cidade de Curitiba, Paraná. Foram obtidas as medidas de estatura e peso corporal para o cálculo do índice de massa corporal (IMC). As crianças foram classificadas segundo seu estado ponderal (peso normal, com sobrepeso e obesas) de acordo com os critérios sugeridos pela International Obesity Task Force. Os níveis de CMG foram avaliados por meio da bateria de testes KTK. O questionário de Baecke, aplicado por entrevista direta, foi utilizado para estimar os níveis de AF habitual. Os níveis de AptF foram avaliados com um conjunto de testes: preensão, impulsão horizontal, corrida vaivém, corrida de 50 jardas e corrida/caminhada da milha. As análises estatísticas foram efetuadas no programa estatístico SPSS, versão 21.0. Em geral, meninos e meninas apresentaram valores médios similares de estatura, massa corporal e IMC, bem como de CMG. Meninos foram mais ativos e apresentaram melhor desempenho nas provas de salto horizontal e corrida/caminhada da milha comparativamente às meninas (p<0,05). Quanto ao estado ponderal, 35,7% das meninas e 33,5% dos meninos apresentaram excesso de peso. Crianças mais velhas foram mais coordenadas do que as mais novas (p<0,001). Houve associação negativa significativa entre CMG e IMC (p<0,001) assim como associação positiva entre CMG e AptF global (p<0,001). A AF total não foi um preditor significativo (p>0,05) da coordenação motora. Os resultados sugerem os efeitos negativos que o excesso de peso pode ter na CMG, e a contribuição positiva dos níveis de AptF. Essas evidências contribuem para a construção de perfis configuracionais de risco, resultado no fato de os programas de intervenção que visem a melhoras nos níveis coordenativos devam priorizar a perda de peso e o aumento dos níveis de AptF das crianças.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Tecnológica Federal do Paranápt_BR
dc.rightsembargoedAccesspt_BR
dc.subjectCapacidade motorapt_BR
dc.subjectExercícios físicospt_BR
dc.subjectAptidão físicapt_BR
dc.subjectCrianças - Desenvolvimentopt_BR
dc.subjectEducação físicapt_BR
dc.subjectMotor abilitypt_BR
dc.subjectExercisept_BR
dc.subjectPhysical fitnesspt_BR
dc.subjectChildren developmentpt_BR
dc.subjectPhysical education and trainingpt_BR
dc.titleAssociação entre as diferentes características individuais e o desempenho coordenativo: um estudo com crianças dos 6 aos 11 anos de idadept_BR
dc.title.alternativeAssociation among different individual characteristics and gross motor coordination: a study with children aged 6 to 11 yearspt_BR
dc.typebachelorThesispt_BR
dc.description.resumoNas últimas décadas, nota-se uma tendência de declínio nos níveis de coordenação motora na infância com forte e negativa repercussão na vida adulta. Essas evidências fortalecem a urgência de um entendimento mais profundo sobre a relação que se estabelece entre a coordenação motora e suas variáveis correlatas, a que se destacam as características a nível individual. A presente proposta tem como objetivo central verificar a associação entre as diferentes características individuais, nomeadamente, IMC, níveis de atividade física (AF) e aptidão física (AptF), e os níveis de coordenação motora grossa (CMG). Foram avaliadas 327 crianças com idades entre os seis e os 11 anos, de ambos os sexos, provenientes de uma escola municipal da cidade de Curitiba, Paraná. Foram obtidas as medidas de estatura e peso corporal para o cálculo do índice de massa corporal (IMC). As crianças foram classificadas segundo seu estado ponderal (peso normal, com sobrepeso e obesas) de acordo com os critérios sugeridos pela International Obesity Task Force. Os níveis de CMG foram avaliados por meio da bateria de testes KTK. O questionário de Baecke, aplicado por entrevista direta, foi utilizado para estimar os níveis de AF habitual. Os níveis de AptF foram avaliados com um conjunto de testes: preensão, impulsão horizontal, corrida vaivém, corrida de 50 jardas e corrida/caminhada da milha. As análises estatísticas foram efetuadas no programa estatístico SPSS, versão 21.0. Em geral, meninos e meninas apresentaram valores médios similares de estatura, massa corporal e IMC, bem como de CMG. Meninos foram mais ativos e apresentaram melhor desempenho nas provas de salto horizontal e corrida/caminhada da milha comparativamente às meninas (p<0,05). Quanto ao estado ponderal, 35,7% das meninas e 33,5% dos meninos apresentaram excesso de peso. Crianças mais velhas foram mais coordenadas do que as mais novas (p<0,001). Houve associação negativa significativa entre CMG e IMC (p<0,001) assim como associação positiva entre CMG e AptF global (p<0,001). A AF total não foi um preditor significativo (p>0,05) da coordenação motora. Os resultados sugerem os efeitos negativos que o excesso de peso pode ter na CMG, e a contribuição positiva dos níveis de AptF. Essas evidências contribuem para a construção de perfis configuracionais de risco, resultado no fato de os programas de intervenção que visem a melhoras nos níveis coordenativos devam priorizar a perda de peso e o aumento dos níveis de AptF das crianças.pt_BR
dc.degree.localCuritibapt_BR
dc.publisher.localCuritibapt_BR
dc.contributor.advisor1Chaves, Raquel Nichele de-
dc.contributor.referee1Chaves, Raquel Nichele de-
dc.contributor.referee2Añez, Ciro Romélio Rodrigues-
dc.contributor.referee3Fermino, Rogério César-
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programBacharelado em Educação Físicapt_BR
dc.publisher.initialsUTFPRpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::EDUCACAO FISICApt_BR
Aparece nas coleções:CT - Educação Física

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CT_COEFI_2017_2_12.pdf
  Disponível a partir de 5000-01-01
1,55 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir Solicitar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.