Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/12384
Título: Avaliação da degradação do pesticida Malation comercial por processo UV/H2O2
Título(s) alternativo(s): Evaluation of degradation of the commercial pesticide malation by UV/H2O2 process
Autor(es): Imoski, Rafaela
Orientador(es): Liz, Marcus Vinicius de
Palavras-chave: Oxidação
Compostos organofosforados
Aedes aegypti
Fotólises (Química)
Química
Oxidation
Organophosphorus compounds
Aedes aegypti
Photolysis (Chemistry)
Chemistry
Data do documento: 12-Jun-2019
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Curitiba
Referência: IMOSKI, Rafaela. Avaliação da degradação do pesticida Malaton comercial por processo UV/H2O2. 2019. 65 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Química) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Curitiba, 2019.
Resumo: O uso indiscriminado de pesticidas pode acarretar diversos problemas de saúde na população, em função da ação neurológica que a maioria destes compostos apresenta. O malation é um pesticida organofosforado classificado como altamente tóxico. No Brasil, o malation também é o pesticida utilizado no combate ao mosquito Aedes aegypti, onde é nebulizado nas áreas de interesse, geralmente urbanas. Neste sentido, a frequente ocorrência desse tipo de substância nas matrizes ambientais tem gerado preocupação. Atrelado à necessidade do tratamento eficiente destas substâncias, os processos avançados de oxidação (AOP) vêm apresentando resultados promissores para degradação de micropoluentes, destacando-se o processo UV/H2O2. O objetivo desse trabalho foi avaliar a degradação do pesticida Malation® 500 CE pelos processos UV/H2O2 e fotólise, acompanhando a determinação da concentração do princípio ativo malation por CLAE-DAD. Os experimentos de degradação foram realizados por reator em escala de bancada utilizando como fonte de radiação uma lâmpada de alta pressão de vapor de mercúrio de 125 W, nos tempos de 15, 30 60 e 90 minutos. A concentração inicial nominal do Malation® 500 CE para as degradações foi de 500 µg L-1. Para o estudo do processo UV/H2O2, a concentração de H2O2 foi de 100 mg L-1, com reinjeções a cada 10 minutos de 100 mg L-1. Bioensaios com larvas do mosquito Aedes aegypti, foram realizados de forma a avaliar a atividade larvicida do composto antes e após as degradações. Também foram realizadas análises de carbono orgânico dissolvido, de modo a observar a degradação do composto. A quantificação do princípio ativo malation foi feita a partir do uso de extração em fase sólida, com percentual de recuperação de 80%. Em 90 minutos de fotólise, foram atingidos níveis de degradação acima de 95%. Para o processo UV/H2O2, em 30 minutos o sinal cromatográfico do pesticida malation não era mais observado. O carbono orgânico teve um aumento significativo em 30 minutos de fotólise, porém o valor diminuiu até o final da reação. No processo UV/H2O2, o teor de carbono orgânico dissolvido foi de 99% em 60 minutos de reação. Em relação aos bioensaios, foi observado efeito tóxico apenas em 90 minutos para o processo UV/H2O2, atribuída à formação de subprodutos da degradação. A partir dos resultados obtidos, chega-se à conclusão de que o processo UV/H2O2 é o mais indicado para a degradação do pesticida comercial.
Abstract: The indiscriminate use of pesticides can lead to several health problems in the population, due to the neurological action that most of these compounds present. Malathion is an organophosphorus pesticide classified as highly toxic. In Brazil, malation is also the pesticide used to combat the Aedes aegypti mosquito, where it is nebulized in areas of interest, usually urban. In this sense, the frequent occurrence of this type of substance in the environmental matrices has generated concern. Due to the need for efficient treatment of these substances, the advanced oxidation processes (AOP) have presented promising results for the degradation of micropollutants, especially the UV/H2O2 process. The objective of this work was to evaluate the degradation of the pesticide Malation® 500 CE by UV/H2O2 processes and photolysis, following the determination of the concentration of the active principle malation by HPLC-DAD. The degradation experiments were carried out by a bench scale reactor using a high-pressure mercury vapor lamp of 125 W at a time of 15, 30, 60 and 90 minutes as the radiation source. The nominal initial concentration of Malation® 500 CE for the degradations was 500 μg L-1. For the study of the UV/H2O2 process, the H2O2 concentration was 100 mg L-1, with every 10 minutes reinjections of 100 mg L-1. Bioassays with larvae of the Aedes aegypti mosquito were carried out in order to evaluate the larvicidal activity of the compound before and after the degradations. Analyzes of dissolved organic carbon were also performed in order to observe the degradation of the compound. The quantification of the active principle malation was made from the use of solid phase extraction, with recovery percentage of 80%. Within 90 minutes of photolysis, degradation levels above 95% were achieved. For the UV/H2O2 process, within 30 minutes the chromatographic signal of the pesticide malation was no longer observed. The organic carbon had a significant increase in 30 minutes of photolysis, but the value decreased until the end of the reaction. In the UV/H2O2 process, the dissolved organic carbon content was 99% in 60 minutes of reaction. In relation to the bioassays, toxic effect was observed only in 90 minutes for the UV/H2O2 process, attributed to the formation of by-products of the degradation. From the results obtained, it is concluded that the UV/H2O2 process is the most suitable for the degradation of the commercial pesticide.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/12384
Aparece nas coleções:CT - Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CT_COQUI_2019_1_21.pdf867,92 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.