Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/12563
Título: Comparação físico-química e inorgânica do sal comum de mesa com o sal rosa do Himalaia
Autor(es): Ramos, Jhony Silva
Orientador(es): Beneti, Stéphani Caroline
Palavras-chave: Sal
Alimentos - Teor de sódio
Elementos traços
Análise espectral
Salt
Food - Sodium content
Trace elements
Spectrum analysis
Data do documento: 22-Nov-2018
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Campo Mourao
Referência: RAMOS, Jhony Silva. Comparação físico-química e inorgânica do sal comum de mesa com o sal rosa do Himalaia. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Tecnologia em Alimentos) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão, 2018.
Resumo: O sal rosa do Himalaia é um produto que vem ganhando destaque, devido a supostos benefícios à saúde e possíveis vantagens sobre o sal comum de mesa. Embora não se tenha muitos estudos que comprovam a premissa, o maior estímulo ao consumo do sal rosa do Himalaia, justifica-se, na teoria de que o produto apresenta teor reduzido de sódio e maior teor de oligoelementos em comparação com o sal de cozinha. O objetivo deste trabalho foi comparar quimicamente o sal rosa do Himalaia com o sal comum de mesa e avaliar as possíveis vantagens e desvantagens entre eles. As duas variedades de sal diferiram entre si em relação aos parâmetros físico-químicos avaliados. Diferente do sal comum, a determinação de iodo na forma de iodato constatou a ausência do elemento no sal rosa do Himalaia. O teor de cloreto de sódio, associado com o teor de sólidos insolúveis totais, demonstraram elevada pureza para o sal comum, enquanto para o sal rosa devem ser empregados outros métodos para avaliar sua pureza. De modo geral, as análises de espectrometria de absorção atômica com chama (FAAS) demonstraram maiores teores de ferro e magnésio para o sal rosa do Himalaia, que ao contrário do que se esperava, apresentou também as maiores concentrações de sódio quando comparado ao sal comum, não respaltando desta forma, as afirmações de que o produto tenha teor de sódio reduzido.
Abstract: The Himalayan rose salt is a product that is gaining prominence these days due to its supposed health benefits and possible advantages over common table salt. Although there are not many studies that prove the premise, the greatest stimulus to Himalayan salt consumption is justified by the theory that the product has a reduced sodium content and a higher content of trace elements compared to cooking salt. The objective of this work was to compare chemically the Himalayan rose salt with the common table salt and to evaluate the possible advantages and disadvantages between them.The two salt varieties differed in relation to the physicochemical parameters evaluated. Unlike common salt, iodine determination of iodine found the absence of the element in the Himalayan rose salt. The sodium chloride content, associated with the total insoluble solids content, showed high purity for the common salt, whereas for the pink salt other methods to evaluate its purity should be employed. In general, flame atomic absorption spectrometry (FAAS) analyzes showed higher levelsof iron and magnesium for the Himalayan pink salt, which, contrary to expectations, alsoshowed higher concentrations of sodium when compared to common salt, thus notsupporting claims that the product has a reduced sodium content.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/12563
Aparece nas coleções:CM - Tecnologia em Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
salcomumhimalaia.pdf1,32 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.