Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/13393
Título: Max e Carol, um diálogo sobre projeção de personalidade em Onde Vivem os Monstros: literatura infantil e filme
Autor(es): Swiech, Jackson Jorvan
Orientador(es): Porto Alegre, Laíze Márcia
Palavras-chave: Cinema
Literatura
Projeção
Psicologia
Comportamento humano
Motion pictures
Literature
Projection
Psychology
Human behavior
Data do documento: 12-Mar-2018
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Curitiba
Referência: SWIECH, Jackson Jorvan. Max e Carol, um diálogo sobre projeção de personalidade em Onde Vivem os Monstros: literatura infantil e filme. 2018. 25 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Artes Híbridas) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2017.
Resumo: "Max e Carol, um diálogo sobre projeção de personalidade” traz um levantamento de conceitos e interposições apoiados na ideia de uma hipótese explicativa, abdução, sobre os personagens Max e Carol do filme Onde Vivem os Monstros, longa metragem dirigido por Spike Jonze, em 2009. Esta pesquisa tem como objetivo levantar pontos em que a personalidade e vivências dos dois personagens possuem pontos em comum. A partir de conceitos da psicologia de Melanie Klein (1986) e aspectos de adaptação e representações sociais de Linda Hutcheon (2006) e Tânia Maria Vaisberg (1995), elabora-se um panorama sobre a fantasia sendo utilizada como uma ferramenta de reflexão e auxílio para desenvolvimento pessoal e compreensão de mundo, principalmente no ambiente infantil. Max visualiza seus problemas mundanos de forma externa a si e precisa gerir e resolvê-los com novos personagens, mas enredo semelhante aos seus conflitos internos.
Abstract: "Max and Carol, a dialogue about personality projection" brings a survey of concepts and interpositions based on the idea of an explanatory hypothesis, abduction, about the characters Max and Carol from the film Where the Wild things are, directed by Spike Jonze in 2009. This research aims at raising points in which the personality and experiences of the two characters have common points. From the concepts of Melanie Klein’s (1986) psychology and aspects of adaptation and social representations of Linda Hutcheon (2006) and Tânia Maria Vaisberg (1995), an overview about a fantasy landscape being used as a tool for reflection and assistance for personal development and world compression, especially in the children's environment. Max visualizes his mundane problems externally to himself and needs to manage and solve them with new characters but with similar plot internal conflicts.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/13393
Aparece nas coleções:CT - Artes Híbridas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CT_CEART_II_2017_06.pdf202,05 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.