Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/1674
Título: O controle interno como instrumento de indução da boa gestão pública
Autor(es): Tanaka, Hideomi
Orientador(es): Lima, Isaura Alberton de
Palavras-chave: Administração pública
Auditoria interna
Controladoria
Public administration
Auditing, Internal
Controllership
Data do documento: 4-Fev-2013
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Curitiba
Referência: TANAKA, Hideomi. O controle interno como instrumento de indução da boa gestão pública. 2012. 45 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2012.
Resumo: A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados e dos Municípios diferentemente da entidade privada obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência que deve obrigatoriamente ser seguidos por qualquer administrador público. Na administração pública, todos que guardam e administram bens ou recursos têm o dever de prestar contas. Nesse sentido, o controle interno é um importante instrumento de acompanhamento e fiscalização da gestão de recursos públicos. Não atua não somente para corrigir os desperdícios, a improbidade, a negligência e a omissão, mas principalmente, antecipando se as ocorrências, busca garantir os resultados pretendidos pela Administração Pública. Dentre vários objetivos de controle interno pode-se destacar a Proteção de Ativos. Segundo esse objetivo, os ativos devem ser protegidos contra quaisquer riscos, fraudes, desperdícios e contra erros decorrentes de cálculos incorretos, de contabilizações inadequadas, da realização de procedimentos não autorizados ou de omissão, bem como contra erros intencionais ou manipuláveis. O plano de organização diz respeito à forma como o sistema de controle interno é organizado, tendo em vista, a missão da organização. Alguns elementos são básicos e devem ser observados na organização de qualquer sistema de controle interno, entre eles, Estrutura de Servidores de Provimento Efetivo, possuir um Coordenador- Geral de controle interno, Estrutura física adequada e vontade Política. Sem vontade política, principalmente na fase inicial, não há como funcionar o sistema de controle interno, pois o gestor é considerado responsável pela organização do sistema de controle interno. Para não comprometer a eficiência do controle interno, alguns procedimentos, ferramentas ou mecanismos não poderão faltar no sistema de controle interno, a fim de evitar erros, falhas, fraudes ou ineficiência no sistema de controle interno. Entre eles vale destacar, acompanhamento dos controles, rodízio de funções e segregação de funções. Pelo princípio de segregação de funções recomenda-se dividir a Unidade Central de Controle Interno em dois departamentos distintos e independentes, chamado de Controladoria e Auditoria. A metodologia adotada para a realização deste trabalho acadêmico é a pesquisa bibliográfica.
Abstract: The direct and indirect public administration of any of the powers of the Union and the States Municipalities, unlike private entity subject to the principles of legality, impersonality, morality, publicity and efficiency which must be followed by any public official. Public Administration, all who hold and manage assets or resources are required to be accountable. Accordingly, the Internal Control is an important tool for monitoring and overseeing the management of public resources. Not only does not act to correct the waste, misconduct, negligence and omission, but mostly, anticipating that instances, seeks to ensure the desired results by the Public Administration. Among several objectives of internal control can highlight the Asset Protection. According to this objective, the assets must be protected against any risks, fraud, waste and against errors arising from incorrect calculations of inappropriate postings, performing unauthorized procedures or omission as well as errors against intentional or manipulative. The Plan of Arrangement with respect to how the Internal Control System is organized in view, the organization's mission. Some elements are basic and should be observed in the organization of any system of internal control, including, Structure Servers Providing Effective, owning a General Coordinator of internal control, proper physical structure and Political Will. No Political Will, especially in the initial phase, there is no way to run the Internal Control System, because the manager is held responsible for the organization of the Internal Control System. To avoid compromising the effectiveness of internal control, some procedures or mechanisms tools can not miss the internal control system in order to avoid mistakes, failures, fraud or inefficiency in the system of internal control. Among them it is worth mentioning, monitoring controls, job rotation and segregation of duties. By the principle of segregation of duties is recommended to divide the Central Unit for Internal Control in two different departments and independent Comptroller and Auditor called. The methodology adopted for this work is the academic literature.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/1674
Aparece nas coleções:CT - Gestão Pública Municipal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CT_GPM_II_2012_11.pdf365,39 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.