Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/3115
Título: For the gates of prostitution in poetry: hardy, régnier and gregh’s late nineteenth-early twentieth century sacred ruined maidens
Autor(es): Diaz, Renata Morales
Orientador(es): Cabreira, Regina Helena Urias
Palavras-chave: Prostituição na literatura
Poesia - Análise
Poética
Prostitution in literature
Poetry - Analysis
Poetics
Data do documento: 19-Ago-2014
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Curitiba
Referência: DIAZ, Renata Morales. For the gates of prostitution in poetry: hardy, régnier and gregh’s late nineteenth-early twentieth century sacred ruined maidens. 2014. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2014.
Resumo: Considerando que a prostituição é, e sempre foi um tópico controverso em quase todas sociedades, é inevitável que seja recorrente na literatura. Portanto, torna-se indispensável um estudo que aborde a prostituição dentro da poesia. Os poemas analisados são The Ruined Maid (1903), de Thomas Hardy; For the Gate of the Courtesans (1912), de Henri de Régnier e Courtesans (1912), de Fernand Gregh. O foco da análise é literário com o suporte de evidencias histórico-sociológicas e contrasta a figura das prostitutas: uma positiva – reforçada pela imagem do arquétipo da Prostituta Sagrada, e uma negativa – reforçada pelas impressões das sociedades da Era Vitoriana e da Belle Époque. Ambas imagens são retratadas pelas palavras dos poetas. A análise foi conduzida a partir dos métodos bibliográfico e analítico.
Abstract: Considering that prostitution has been a controversial topic in almost all societies, it is inevitable that it has become a recurrent content approached in literature. Therefore, it seemed necessary and inescapable the study of prostitution inside poetry. The poems analysed are The Ruined Maid (1903), by Thomas Hardy; For the Gate of the Courtesans (1912) by Henri de Régnier, and Courtesans (1912), by Fernand Gregh. The analysis focus is literary with the support of historical-sociological evidence and it contrasts the figure of the prostitutes: a positive, reinforced by the archetype of the Sacred Prostitute, and a negative image, reinforced by the impressions of the societies of the Victorian Era and the Belle Époque. Both images are depicted through the words of the poets. The analysis was conducted based on the bibliographical and analytical methods.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/3115
Aparece nas coleções:CT - Licenciatura em Letras

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CT_COLET_2014_1_24.pdf555,92 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.