Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/3309
Título: O fantástico em Brandão e Rubião: uma abordagem teórica e reflexiva
Autor(es): Gomes, Gessica Zavadoski
Orientador(es): Almeida, Rogério Caetano de
Palavras-chave: Contos - Análise
Absurdo na literatura
Grotesco na literatura
Short stories - Analysis
Absurd (Philosophy) in literature
Grotesque in literature
Data do documento: 14-Abr-2014
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Curitiba
Referência: GOMES, Gessica Zavadoski. O fantástico em Brandão e Rubião: uma abordagem teórica e reflexiva. 2014. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2014.
Resumo: Encontram-se narrativas que apresentam elementos fantásticos, principalmente a partir do Romantismo. No século XX torna-se mais evidente, visto que, tratam de um mundo em desequilíbrio. Isso causa desconforto e transtorno às personagens, bem como ao leitor. Entre as infinitas maneiras de se identificar o estranho de Freud e o estranhamento de Chklovski, temos o uso do fantástico como recurso expressivo. Neste trabalho, tal perspectiva será adotada a partir da análise do contos “Aglaia” e “Bárbara” de Murilo Rubião, e “O homem cuja orelha cresceu” do escritor Ignácio de Loyola Brandão. As narrativas são formadas por elementos naturais e por elementos insólitos que causam estranhamento ao leitor no decurso de todo o texto. Esses contos representam o contexto social do século XX, bem como os problemas encontrados nessa sociedade moderna, que ainda vive presa a costumes e tradições. Por meio da análise dos elementos fantásticos presentes nos contos “Aglaia”, “Bárbara” e “O homem cuja orelha cresceu” pretendemos mostrar como os recursos influenciam na configuração do estranho e do estranhamento. Para tanto, este trabalho embasa-se nos estudos teóricos sobre o gênero fantástico, e, quando possível, algumas noções a respeito do absurdo e do grotesco.
Abstract: Narratives that present fantastic elements are found mainly since Romanticism. In the Twentieth Century this becomes more evident as they deal with a world out of balance. This causes discomfort and derangement to both the characters and the reader. Among the endless ways to identify the Strange theorized by Freud and the one theorized by Chklovsky, there is the use of the Fantastic as an expressive resource. In this work, this perspective will be adopted from the analysis of the tales "Aglaia" and "Bárbara" by Murilo Rubião, and "O homem cuja orelha cresceu", by Ignacio de Loyola Brandão. The narratives are formed by natural elements and unusual elements that cause confusion to the reader in the course of the entire text. These tales represent the social context of the twentieth century as well as the problems encountered in this modern society, that still lives stuck in customs and traditions. Through the analysis of the elements present in fantastic tales "Aglaia", "Bárbara" and "O homem cuja orelha cresceu" we intend to show how the resources influence the configuration related to the strange and strangement. This work is based on the theoretical studies on the Fantastic genre, and, where it is possible, some notions about the absurd and the grotesque.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/3309
Aparece nas coleções:CT - Literatura Brasileira e História Nacional

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CT_LBHN_IX_2013_08.pdf484,2 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.