Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/5055
Título: Atividade antibacteriana de méis de meliponíneos obtidos de diferentes regiões do estado do Paraná (Brasil)
Autor(es): Silva, Lorrany Matos Cardozo da
Orientador(es): Perdoncini, Márcia Regina Ferreira Geraldo
Palavras-chave: Abelha sem ferrão
Mel
Testes de sensibilidade bacteriana
Stingless bees
Honey
Microbial sensitivity tests
Data do documento: 15-Jun-2016
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Campo Mourao
Referência: SILVA, Lorrany Matos Cardozo da. Atividade antibacteriana de méis de meliponíneos obtidos de diferentes regiões do estado do Paraná (Brasil). 2016. 47 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão, 2016.
Resumo: Com o uso irracional de certos compostos, como ampicilina, cefalexina, entre outros, as bactérias progressivamente vêm desenvolvendo resistência aos antibióticos, conduzindo a estudos para novas formulações com ação antimicrobiana a partir de diferentes produtos naturais, como o mel. Abelhas sem ferrão, também conhecidas como meliponíneos, elaboram um mel diferenciado, com características sensoriais e físico-químicas particulares. Este trabalho teve por objetivo avaliar a atividade antimicrobiana dos méis de Tetragonisca angustula (JATAÍ), Melipona quadrifasciata quadrifasciata (MANDAÇAIA), Scaptotrigona bipunctata (TUBUNA), oriundas de diferentes regiões do estado do Paraná (Brasil) frente às bactérias Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa, Salmonella Typhymurium, Sthaphylococcus aureus, onde foi verificada a Concentração Inibitória Mínima (CIM) através do Método de Microdiluição em Caldo proposto pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI). Os méis analisados apresentaram atividade antimicrobiana em relação às bactérias propostas. Em destaque ao mel de Jataí, mostrou- se como o melhor agente antibacteriano quando comparado aos outros méis investigados, devido a sua ação contra todas as bactérias testadas. Já as amostras de méis de Tubuna expressaram o menor desempenho entre os méis analisados, onde houve crescimento de S. aureus e E.coli na maioria das amostras. Porém, conclui-se que as características antibacterianas dos méis são influenciadas não só por fatores extrínsecos, mas fatores intrínsecos, conferindo particularidades que em conjunto fornecem ao mel alterações na expressão da atividade antimicrobiana.
Abstract: Due to the irrational use of certain compounds, as ampicillin, cephalexin and others, bacteria progressively have been developing drug resistance, leading to studies for new antimicrobial activity formulations, analyzing different natural products like honey. Meliponines, also known as stingless bees, develop a distinctive honey with particular sensory and physicochemical characteristics. This study aims to evaluate the honey antimicrobial activity from Tetragonisca angustula (JATAI), Melipona quadrifasciata (MANDAÇAIA) e Scaptotrigona bipunctata (TUBUNA), from different regions of Paraná state (Brazil) on the bacteria Escherichia coli, Pseudomonas aeruginosa, Salmonella Typhymurium, Staphylococcus aureus, whose Minimum Inhibitory Concentration (MIC) by microdilution in broth, proposed by the Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) was verified. The different honey samples analyzed showed antimicrobial activity in relation to bacteria proposals. Jatai honey stood out being the best antibacterial agent when compared to other kinds of honey investigated, due to its action against all bacteria tested. However, the samples of honey from Tubuna expressed the lowest performance among the analyzed honeys, where there was growth of S. aureus and E. coli in most samples. It is concluded that the honey antibacterial characteristics are influenced not only by extrinsic factors, but also intrinsic factors, providing characteristics that together provide honey changes in the expression of antimicrobial activity.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/5055
Aparece nas coleções:CM - Engenharia de Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CM_COEAL_2016_1_05.pdf646,88 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.