Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/5057
Título: Modificação do amido de mandioca com mistura de anidrido-acético e ácidos orgânicos
Autor(es): Gonçalves, Heliberto
Orientador(es): Plata-Oviedo, Manuel Salvador Vicente
Palavras-chave: Amido
Mandioca
Anidridos
Ácidos orgânicos
Starch
Cassava
Anhydrides
Organic acids
Data do documento: 15-Jun-2016
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Campo Mourao
Referência: GONÇALVES, Heliberto. Modificação do amido de mandioca com mistura de anidrido- acético e ácidos orgânicos. 2016. 26 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão, 2016.
Resumo: Os amidos nativos não suportam condições extremas de processo, como forte agitação mecânica ou pH ácido e naturalmente retrogradam. Com isso, as modificações químicas são realizadas para que o amido possa suportar essas condições. O objetivo desse trabalho foi modificar o amido nativo de mandioca com misturas de anidrido acético e ácidos orgânicos (cítrico, málico e tartárico) e avaliar suas propriedades como a característica aniônica, temperatura de formação de pasta, viscosidade dos géis, claridade e turbidez de pasta além de avaliar os espectros no infravermelho com transformada de Fourier (FTIR). A microscopia com corante azul de metileno indicou modificação do amido, a temperatura de formação de pasta indicou que o amido modificado com mistura de anidrido acético e ácido cítrico (AAC) apresentou baixa temperatura na formação de pasta. A viscosidade aparente em meio ácido sugere intercruzamento nos amidos modificados com os ácidos orgânicos, enquanto que a claridade e a turbidez das dispersões desses amidos informam baixa tendência à retrogradação, associado à esterificação do amido. A análise do FTIR possibilitou a observação de pico na região de 1740 cm-1 que sugere que os amidos foram esterificados. Conclui-se que todos os ácidos orgânicos foram capazes de esterificar o amido nativo de mandioca.
Abstract: The native starches do not support extreme conditions, such as strong mechanical agitation or acidic pH and naturally retrogrades. Given that, the chemical modifications are made so that the starch is able to withstand these conditions. The objective of this work was to modify the native cassava starch with mixtures of acetic anhydride and organic acids (citric, malic and tartaric acid) and then evaluate its properties such as anionic characteristics, paste formation temperature, viscosity of the gels, clarity and turbidity of the paste and its spectra in Fourier transform infrared (FTIR). Methylene blue dye microscopical analysis indicated modification of the starch. The paste formation temperature indicated that the starch modified with a mixture of acetic anhydride and citric acid (EAC) presented low paste formation temperature. The apparent viscosity when in acidic medium suggests intercrossing between the modified starch and the organic acids, while its clarity and turbidity report low tendency to downgrading, associated to the starch esterification. FTIR analysis made it possible to observe a peak in 1740 cm-1 region that suggests the starches have been esterified. It is concluded that all the organic acids were able to esterify the native cassava starch.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/5057
Aparece nas coleções:CM - Engenharia de Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CM_COEAL_2016_1_03.pdf504,96 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.