Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/5198
Título: Avaliação do consumo de corantes alimentares amarelos por lactentes e crianças em idade pré-escolar
Autor(es): Antonio, Jéssica Mayara
Orientador(es): Fuchs, Renata Hernandez Barros
Palavras-chave: Corantes
Alimentos - Aditivos
Doces e balas
Refrigerantes
Colorings matter
Food additives
Candy
Carbonated beverages
Data do documento: 4-Dez-2014
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Campo Mourao
Referência: ANTONIO, Jéssica Mayara. Avaliação do consumo de corantes alimentares amarelos por lactentes e crianças em idade pré-escolar. 2014. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão, 2014.
Resumo: Sabe-se que a única função dos corantes alimentares é conferir cor ao alimento não oferecendo nenhum valor nutritivo a este. Estudos vêm demonstrando a ocorrência de reações adversas a curto e longo prazo, devido ao consumo de alimentos que apresentam corantes artificiais. As reações variam desde reações tóxicas no metabolismo desencadeantes de alergias, alterações no comportamento, em geral, e carcinogenicidade, esta última observada em longo prazo. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o consumo de corantes artificiais presentes em refresco em pó, refrigerante, balas, pirulito, gelatina e picolé de cor amarela, consumidos por estudantes com idade entre (0 a 1 ano e 11 meses de idade) e crianças com idade entre 2 a 5 anos e 11 meses da rede particular de ensino da cidade de Campo Mourão. Um questionário sobre o consumo destes alimentos foi elaborado e enviado aos responsáveis pela criança para ser respondido. Os dados foram tratados no Microsoft Office Excel 2007. O consumo relatado foi quantificado e considerou-se a quantidade de corantes presentes nesses alimentos, como sendo o teor máximo permitido pela legislação. A quantidade de corantes consumida pelas crianças foi comparada com a ingestão diária aceitável para cada faixa etária, considerando-se o peso médio fornecida pelo percentil 50, das tabelas NCHS. Verificou-se que os corantes amarelo Crepúsculo e Tartrazina não ultrapassam a ingestão diária aceitável (IDA) em todas as faixas etárias.
Abstract: It is known that the only function of food stains is to provide color for food without contributing to its nutritive properties. However, studies have demostrated that adversal reactions may occur because of the use of artifitial stains, at short and long terms. These reactions vary from alergies, changes in behavior or even cancer. The aim of this work was to evaluate the effects of yellow artifitial stains in infants between 0 to 1 year and 11 months, and children between 2 and 5 years and 11 months, both from the private system of education in Campo Mourão. The yellow stain evaluated was that commonly used in juices, pop soda, candies, lollypops, gellies, and popsico. A questionary about the consumes of these products was applied, and the data was analysed using Microsoft Office Excel 2007. The reported uses were quantified, and the amount of the yellow stain for each item was considered according to the current legislation. The amount of stain consumed by the children was then compared to the acceptable daily value suggested for each age, according to the percentil 50 of the NCHS tables. According to our results the ingestion of the yellow stains are within the acceptable limits in all ages.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/5198
Aparece nas coleções:CM - Engenharia de Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CM_COEAL_2014_2_08.pdf1,04 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.