Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/7109
Título: Trabalhadores haitianos em Pato Branco - PR: desafios para a inserção social, educacional e linguística
Autor(es): Giacomini, Taize
Orientador(es): Bernartt, Maria de Lourdes
Palavras-chave: Trabalhadores - Aspectos sociais
Mobilidade social
Trabalhadores estrangeiros
Employees - Social aspects
Social mobility
Foreign workers
Data do documento: 2015
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Pato Branco
Referência: GIACOMINI, Taize. Trabalhadores haitianos em Pato Branco - PR: desafios para a inserção social, educacional e linguística. [2015. 18 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco, 2015].
Resumo: O presente estudo objetivou investigar as razões que desencadearam a mobilidade espacial de trabalhadores haitianos para a região sudoeste do Paraná, na atualidade. Além disso, buscou verificar como se dá o processo de inserção social, educacional e linguística desses trabalhadores na cidade de Pato Branco. A metodologia consistiu em pesquisa bibliográfica e pesquisa de campo exploratória. A pesquisa bibliográfica envolveu conceitos e discussões sobre trabalho (ALBORNOZ, 2000; MARX, 1983; SAVIANI, 2002), mobilidade espacial da força de trabalho na sociedade capitalista (FREITAS, 2009), preconceito (CROCHÍK, 2006), entre outros. Em relação à pesquisa de campo exploratória: 1) escolhemos a empresa da cidade que mais emprega esses trabalhadores para a aplicação de questionários orais e escritos, destinados aos dirigentes, aos haitianos e brasileiros que ali trabalham; 2) realizamos entrevistas com a população patobranquense, de modo geral, sem especificação de público, faixa etária, classe social, envolvendo aleatoriamente pessoas da comunidade local; 3) levantamos dados junto à Secretaria Municipal de Educação de Pato Branco e em escolas que possuem alunos haitianos. Os resultados demonstram que os haitianos passaram a vir para o Brasil em 2010, quando o país foi devastado por uma catástrofe natural. Assim, vieram em busca de emprego, moradia e de melhores condições de vida. No entanto, apresentam dificuldades para se comunicar em língua portuguesa e para se relacionar com a comunidade local. Nesse sentido, algumas empresas e igrejas passaram a disponibilizar gratuitamente aulas de idioma e cultura brasileira. Os educadores sentem dificuldades no processo de ensino-aprendizagem por se tratar de um contexto inovador e desafiador. Em relação à questão social, os haitianos estão sendo alocados em diversos bairros da cidade, e aos poucos se adaptando com a cultura e os costumes locais. Alguns deles já se casaram aqui, bem como outros já tiveram filhos pato-branquenses/paranaenses. Contudo, andam sempre em grupos, entre si. Quanto à população da cidade e a sua relação com estes trabalhadores, notouse que há um acentuado preconceito em relação à cor, ao comportamento, e em especial, quanto à presença destes trabalhadores em Pato Branco-PR.
Descrição: Trabalho aceito no 6º ESCOCITE.BR TECSOC - VI Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade - 2015
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/7109
Aparece nas coleções:PB - Letras: Linguagem e Sociedade

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PB_EL_I_2015_21.pdf
  Disponível a partir de 5000-01-01
380,51 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir Solicitar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.