Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/7199
Título: Avaliação higiênico-sanitária e microbiológica de alface (Lactuca sativa) comercializada em feira livre de Francisco Beltrão - PR
Título(s) alternativo(s): Hygienic-sanitary and microbiological evaluation of lettuce (Lactuca sativa) commercialized in free fair Francisco Beltrão - PR
Autor(es): Silva, Leide Chaiane Gaspar da
Orientador(es): Marchi, João Francisco
Palavras-chave: Alface - Contaminação
Feiras livres
Lettuce - Contamination
Fairs
Data do documento: 26-Nov-2015
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Francisco Beltrao
Referência: SILVA, Leide Chaiane Gaspar da. Avaliação higiênico-sanitária e microbiológica de alface (Lactuca sativa) comercializada em feira livre de Francisco Beltrão- PR. 2015, 52 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Francisco Beltrão, 2015.
Resumo: As feiras-livres se destacam pela comercialização de alimentos “in natura”, grande variedade de produtos e pela diversidade de preços. Um dos problemas que podem ser encontrados nas feiras é a falta de atenção ao manipular e armazenar os alimentos. Esses hábitos irregulares podem gerar graves problemas na saúde do consumidor, a exemplo da intoxicação alimentar. Nesse sentido, o estudo proposto objetiva avaliar as condições higiênico-sanitárias de alfaces (Lactuca sativa), comercializadas em feira de Francisco Beltrão- PR. O estudo foi realizado de setembro a novembro de 2015 na feira livre onde são comercializados os produtos. Foram aplicados questionários (check-list) de inspeção em oito bancas avaliando-se os quesitos higiene dos manipuladores, instalações e arredores, utensílios, higiene dos alimentos e água. Foram coletadas duas amostras de alface para análises microbiológicas, em três períodos diferentes, no intervalo de duas semanas. Em relação as condições higiênico-sanitárias das bancas avaliadas no presente trabalho, foram classificadas como “ruins”, com nota média de 50% de atendimento aos quesitos analisados. Dentre os principais pontos considerados críticos de não conformidade, podemos destacar os quesitos de higiene dos manipuladores, utensílios, higiene dos alimentos e água. Das amostras analisadas de alfaces, 100% apresentaram-se contaminadas com coliformes totais, sendo que uma das amostras avaliadas apresentou resultado positivo para E. coli, podendo conter cepas patogênicas da mesma. Os resultados obtidos para o número mais provável (NMP) variaram de 3,5 x 101 a > 1,1 x 103 NMP g-1 para coliformes totais e 9,2 x 10 a 9,3 x 101 NMP g-1 para coliformes termolerantes, encontrando-se dentro dos padrões estabelecidos pela legislação. Mas, a presença de coliformes totais e termotolerantes nas hortaliças analisadas demonstrou que: em algum momento, seja na produção, na manipulação ou no armazenamento das hortaliças, houve contato das mesmas com fezes humanas ou de animais. Este fato está intimamente relacionado à má condição higiênico-sanitária das bancas. Visto a situação das bancas e a presença de coliformes termotolerantes no produto com incidência de E. coli, recomenda-se a realização de ações corretivas da Vigilância Sanitária, direcionadas aos feirantes com a finalidade de esclarecer a necessidade da melhoria das condições de exposição e comercialização do produto; e junto aos consumidores esclarecendo procedimentos corretos de preparo e higienização para o consumo doméstico.
Abstract: Fairs-free stand for the sale of food "in natura", wide range of products and the price range. One of the problems that can be found in the markets is the lack of attention when handling and storing food. These irregular habits can lead to serious problems in consumer health, such as food poisoning. In this sense, the proposed study aims to evaluate the hygienic and sanitary conditions of lettuce (Lactuca sativa), marketed in fair Francisco Beltrão- PR. The study was conducted from September to November 2015 in the open market where the products are marketed. Questionnaires were applied (check-list) inspection in eight stalls evaluating the questions hygiene of handlers, facilities and surroundings, utensils, hygiene of food and water. Two lettuce samples for microbiological analyzes were collected in three different periods in the interval of two weeks. Regarding the sanitary conditions of the stalls evaluated in this study were classified as "bad", with an average score of 50% compliance with the analyzed questions. Among the main points considered critical defects are found, we highlight the drawer hygiene questions, utensils, hygiene of food and water. Of the samples of lettuce, 100% had become contaminated with total coliforms, and one of the samples tested positive for E. coli, and may contain pathogenic strains of the same. The results obtained for most probable number (NMP) ranged from 3,5 x 101 a> 1,1 x 103 NMP g-1 for total coliforms and 9,2 x 10 to 9,3 x 101 NMP g-1 Coliform termolerantes, lying within the standards established by law. But the presence of total and fecal coliforms in the analyzed vegetables showed that: at some point, whether in production, handling or storage of vegetables, there was contact thereof with human feces or animals. This fact is closely related to poor hygienic and sanitary condition of the stalls. Since the situation of bunkers and the presence of fecal coliform in the product with an incidence of E. coli, it is recommended to carry out corrective actions of Health Surveillance, directed to the fairground in order to clarify the need to improve the exposure and marketing conditions of product; and to consumers by clarifying correct procedures for preparation and cleaning for domestic consumption.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/7199
Aparece nas coleções:FB - Tecnologia em Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FB_COALM_2015_2_04.pdf1,7 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.