Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/7572
Título: Viabilidade agronômica da Tecnologia Inox no cultivo de soja
Título(s) alternativo(s): Agronomic viability of Inox™ Technology in soybean cultivation
Autor(es): Batti, Vinícius de Bitencourt Bez
Orientador(es): Benin, Giovani
Palavras-chave: Soja - Melhoramento genético
Grãos - Doenças e pragas
Fungicidas
Produtos químicos agrícolas
Soybean - Breeding
Grain - Diseases and pests
Fungicides
Agricultural chemicals
Data do documento: 24-Ago-2016
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Pato Branco
Referência: BATTI, Vinícius de Bitencourt Bez. Viabilidade agronômica da Tecnologia Inox no cultivo de soja. 2016. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Pato Branco, 2016.
Resumo: A cultura da soja (Glycine max) é constantemente ameaçada pelo complexo de doenças que acometem a produção. Entre estas doenças está a ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi). Em função da necessidade de controlar a doença, diversas empresas, através de seus programas de melhoramento genético, buscam cultivares com níveis superiores de tolerância, ou até mesmo, resistência à ferrugem asiática da soja. Diante disso, surgiu a tecnologia INOX™, que promove através da ação de genes, uma reação de hipersensibilidade dos tecidos em reação à infecção da doença. Este trabalho foi conduzido com o objetivo de avaliar a viabilidade agronômica desta tecnologia, através de diferentes intervalos de aplicação de fungicidas. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso com três repetições, e os tratamentos foram dispostos em fatorial 4 x 4 (cultivares de soja x formas de aplicação de fungicidas). Foram utilizadas as cultivares, FUNDACEP 66 RR™ e NS 5000 RR PRO™, que não possuem resistência a doença, e as cultivares TMG 7262 Inox™ RR™ e 7062 Inox™ Intacta RR2 PRO™, que possuem resistência a ferrugem asiática. Foram utilizados quatro tratamentos experimentais. No primeiro tratamento (T1) denominado de controle, não foi realizada a aplicação de fungicidas, apenas inseticidas conforme necessidade, baseada na manifestação dos insetos praga, no campo produtivo, sendo que nos demais tratamentos, as aplicações de inseticidas obedeciam ao mesmo critério de manejo, aplicando-se inseticidas em todo o experimento, manejados da mesma forma. O segundo tratamento (T2), consistiu na aplicação do fungicida ELATUS™ (AZOXISTROBINA e BENZOVINDIFLUPIR), na dosagem de 200 gramas de produto comercial por hectare, utilizando volume de calda de aplicação de 200 litros por hectare. A aplicação foi realizada no início do estádio reprodutivo da cultura, momento anterior ao fechamento das ruas de semeadura, onde as folhas do terço inferior da cultura encontravam-se com as folhas da planta da linha ao lado. O manejo do terceiro tratamento (T3), é idêntico ao tratamento T2, no entanto o intervalo de aplicação foi de 21 dias, obedecendo o critério de intervalo fixo, da mesma maneira, até o estadio R5.4. Por fim, o manejo do quarto tratamento (T4), idêntico ao segundo e ao terceiro tratamentos, apenas deixando o intervalo de aplicação sem escala fixa, obedecendo o critério de aplicação conforme a pressão de inoculo e manifestação de condições ideais para a reprodução do patógeno. A produtividade de grãos variou de 1259,68 Kg, no tratamento testemunha (T1) da cultivar NS 5000, até 3297,96 Kg no tratamento 4 da cultivar TMG 7262. Identifica-se diferença na produtividade entre o tratamento testemunha com os demais, onde houve a aplicação de fungicida, nas cultivares que não possuem a Tecnologia INOX™, Fundacep 66 e NS 5000. Não houve diferenciação estatística nas médias de produtividade, em função da aplicação de fungicidas e dos diferentes intervalos de aplicação, 14 ou 21 dias em intervalo fixo, nas cultivares com a Tecnologia INOX™. Comprovando que na safra 2015/2016, nas condições edafoclimáticas semelhantes ao experimento, a tecnologia INOX™ demonstrou-se eficiente para o controle de ferrugem asiática da soja.
Abstract: The soybean (Glycine max) is constantly threatened by complex diseases that affect production. Among these diseases is Asian rust (Phakopsora pachyrhizi). Because of the need to control the disease, several companies, through their breeding programs seek cultivars with higher levels of tolerance or even resistance to Asian soybean rust. Therefore, the INOX ™ technology has emerged, which promotes through the action of genes, a fabric of hypersensitivity reaction in response to the infection of the disease. This study was conducted to evaluate the agronomic feasibility of this technology through different fungicide application intervals. The experimental design was a randomized block design with three replications, and the treatments were arranged in a factorial 4 x 4 (soybean cultivars x fungicides application forms). cultivars, FUNDACEP 66 RR ™ and NS 5000 RR PRO ™, which have no resistance to disease were used, and the TMG cultivars 7262 Inox ™ RR ™ and 7062 ™ Stainless Intact RR2 PRO ™, which have resistance to soybean rust. Four experimental treatments were used. In the first treatment (T1) called control was not carried out the application of fungicides, only insecticides as needed, based on the manifestation of insect pests in the production field, with the other treatments, insecticide insecticides throughout the experiment handled similarly. The second treatment (T2) consisted BENZOVINDIFLUPIR) at a dose of 200 grams per hectare of commercial product using spray application volume of 200 liters per hectare. The application was done at the beginning of the reproductive stage of culture time prior to the closing of sowing streets, where the leaves from the lower third of culture met with the line leaves of the plant next. The treatment management of the third (T3) is identical to T2, however application treatment interval was 21 days, following a fixed interval criterion, in the same way until the stage R5.4. Finally, management of the fourth treatment (T4) identical to the second and third treatments, leaving only without fixed scale application interval, following the application criteria according to inoculate pressure and expression of ideal conditions for the reproduction of the pathogen . The grain yield ranged from 1259.68 kg in the control treatment (T1) of the cultivar NS 5000 until 3297.96 kg in the treatment 4 cultivar TMG 7262. It identifies difference in productivity between the control treatment with the other, where there fungicide, in cultivars lacking the INOX ™ technology, Fundacep 66 and NS 5000. There was no statistical difference in the averages, depending on the application of fungicides and different application ranges, 14 or 21 days interval fixed, in cultivars with INOX Technology ™. Proving that the crop 2015/2016, at conditions similar to the experiment, the INOX ™ technology was efficient for soybean rust control soybean.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/7572
Aparece nas coleções:PB - Agronomia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PB_COAGR_2016_36.pdf956,49 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.