Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/7775
Título: Época do ano, idade da planta matriz e concentrações de AIB no enraizamento de mini-estacas de cerejeira-do-mato
Título(s) alternativo(s): Time of year, age of the plant matrix and AIB concentrations on rooting of mini-cuttings of cherry-eating fox
Autor(es): Chiele, Jéssica Paula
Orientador(es): Wagner Júnior, Américo
Palavras-chave: Plantas - Propagação por estaquia
Plantas - Reprodução
Biodiversidade - Conservação
Plant cuttings
Plants - Reproduction
Biodiversity conservation
Data do documento: 5-Dez-2016
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Dois Vizinhos
Referência: CHIELE, Jéssica Paula. Época do ano, idade da planta matriz e concentrações de AIB no enraizamento de mini-estacas de cerejeira-do-mato. 2016. 29 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Dois Vizinhos, 2016.
Resumo: A Eugenia involucrata conhecida popularmente como cerejeira-do-mato é espécie da família Myrtaceae com grande potencialidade de uso, porém ainda pouco explorado. Para reverter tal quadro, faz-se necessário a seleção de genótipos superiores e posterior propagação de mudas,de forma que estas mantenham tais características que o fizeram ser selecionados. Só assim, pode-se utilizá-los em plantios comerciais. Deste modo a propagação assexuada torna-se de grande importância, entretanto ainda faltam estudos sobre esta na espécie em questão. A mini-estaquia é uma forma de propagação assexuada que ainda não foi testada para a espécie e que pode proporcionar a formação de mudas de qualidade e vigor. Sendo assim, o objetivo do presente trabalho foi testar a mini-estaquia em Eugenia involucrata, bem como os fatores que interferem no sucesso desta, como concentração de AIB, idade da planta matriz e épocas do ano. O experimento foi realizado em casa de vegetação, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Câmpus Dois Vizinhos. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado em fatorial 2 x 5 x 5 (ontogenia da planta matriz x época de coleta x concentração de AIB), com quatro repetições, sendo o número de mini-estacas por repetição variávelde acordo com a disponibilidade. O material foi preparado com comprimento de 6 cm, realizando-se seu mini-estaqueamento em caixas plásticas contendo substrato comercial, procedendo-se neste, a introdução de 2/3 do material. Das mini-estacas foi avaliado a calogênese, enraizamento, número de raízes e comprimento das três maiores raízes. Os dados foram primeiramente submetidos ao teste de normalidade de Lilliefors, após a análise de variância e quando significativo ao teste de regressão para o fator quantitativo e de comparação de médias de Duncan para o qualitativo. Quanto aos resultados, para as mini-estacas de planta matriz adulta foram encontrados valores nulos para todas as variáveis analisadas, ao contrário das coletadas de planta matriz jovem, sendo que nesta foi obtida significância para o fator época de coleta para as variáveis enraizamento, número de raízes e comprimento das três maiores, onde as épocas abril/2015 e fevereiro/2016 obtiveram os melhores resultados. Houve ausência de significância para todas as possíveis interações, e quando analisadas separadamente para os fatores ontogenia da planta matriz e concentrações de AIB. Em relação a calogênese esta não foi encontrada em nenhuma mini-estaca. Sendo assim conclui-se que a mini-estaquia pode ser utilizada para propagação de cerejeira-do-mato, sendo indicada a utilização de plantas matrizes jovens, nas épocas onde a planta matriz possui grande quantidade de reservas (abril/2015) e também em épocas mais quentes (fevereiro/2016), sem a necessidade de AIB. Entretanto se o objetivo é obter rizogênese satisfatória deve-se testar outros fatores e níveis.
Abstract: Eugenia involucrata popularly known as cherry-grove is a species of the family Myrtaceae with great potentiality of use, but still little explored. In order to revert such a framework, it is necessary to select superior genotypes and subsequent propagation of seedlings, so that they maintain such characteristics that have been selected. Only in this way can they be used in commercial plantations. In this way the asexual propagation becomes of great importance, although still studies are lacking on this in the species in question. Mini-cutting is a form of asexual propagation that has not yet been tested for the species and which can provide the formation of seedlings of quality and vigor. Thus, the objective of the present work was to test the mini-cutting in Eugenia involucrata, as well as the factors that interfere in its success, such as AIB concentration, age of the mother plant and seasons of the year. The experiment was carried out in a greenhouse at the Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Câmpus Dois Vizinhos. The experimental design was completely randomized in factorial 2 x 5 x 5 (matrix ontogeny x collection period x AIB concentration), with four replications, with the number of mini-cuttings per replication variable according to availability. The material was prepared with a length of 6 cm, and its mini-staking was carried out in plastic boxes containing commercial substrate, where 2/3 of the material was introduced. From the mini-stakes the calogenesis, rooting, number of roots and length of the three largest roots were evaluated. The data were first submitted to the normality test of Lilliefors, after analysis of variance and when significant to the regression test for the quantitative factor and comparison of means of Duncan for the qualitative. As for the results, for the mini-cuttings of adult plant, null values were found for all the analyzed variables, unlike those collected from the young mother plant, where it was obtained significance for the collection factor for the variables rooting, number Of roots and length of the three largest, where the seasons April / 2015 and February / 2016 obtained the best results. There was no significance for all possible interactions, and when analyzed separately for the ontogeny factors of the matrix plant and AIB concentrations. Regarding calogenesis this was not found in any mini-cuttings. Thus, it is concluded that minicutting can be used to propagate cherry bush, and the use of young seedlings is indicated, in times when the matrix plant has a large amount of reserves (April / 2015) and also in (February / 2016), without the need for AIB. However if the objective is to obtain satisfactory rhizogenesis one must test other factors and levels.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/7775
Aparece nas coleções:DV - Engenharia Florestal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DV_COENF_2016_2_11.pdf704,61 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.