Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/8556
Título: Encapsulação de luteína e avaliação in vitro da atividade da enzima acetilcolinesterase
Título(s) alternativo(s): Encapsulation of lutein and in vitro evoluation in the activity of acetilcolinesterase enzyme
Autor(es): Miranda, Cristiane Grella
Orientador(es): Ineu, Rafael Porto
Palavras-chave: Inibidores enzimáticos
Carotenóides
Materiais nanoestruturados
Enzyme inhibitors
Carotenoids
Nanostructured materials
Data do documento: 30-Nov-2017
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Campo Mourao
Referência: MIRANDA, Cristiane Grella. Encapsulação de luteína e avaliação in vitro da atividade da enzima acetilcolinesterase. 2017. 49 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão, 2017.
Resumo: As causas da doença de Alzheimer (DA) têm sido objeto de intensa investigação. Atualmente, além da compreenção dessa doença há a busca de novos fármacos para o seu tratamento e prevenção. Diante disso, a luteína mostrou-se uma forte candidata para atuar como medicamento para DA, contudo sua instabilidade as condições externas e sua baixa solubilidade em água dificulta sua aplicação, o que pode ser contornado poer meio de técnicas de nanoencapsulação. O objetivo deste trabalho foi nanoencapsular a luteína e avaliar sua capacidade de atuar como composto inibitório da atividade da enzima acetilcolinesterase (AChE), bem como, determinar sua cinética de reação As nanopartículas foram obtidas pelo método de dispersão sólida, utilizando como encapsulante a PVP Para a caracterização das nanopartículas foram empregadas as técnicas instrumentais de Microscopia Eletrônica de Transmissão (MET), Espectroscopia de Infravermelho (FTIR), Calorimetria Diferencial de Varredura (DSC), Espectroscopia de Ultravioleta-visível (UV-Vis) e Difração de Raios-X (DRX). Soluções de luteína pura e nanoencapsuladas foram testadas in vitro como inibidoras da AChE, tanto em meio aquoso quanto em etanol (bom solvente da luteína). Os parâmetros cinéticos (constante de MichaelisMenten (Km) e velocidade máxima (Vmáx)) foram estimados por análise da atividade enzimática em água para a luteína nanoencapsuladas e pura. As nanopartículas possuem morfologia esférica com diâmetro aproximado de 200 nm e foi possível demonstrar a efetiva encapsulação da luteína pelo PVP. Para a atividade da acetilcolinesterase, as concentrações de luteína a 200 µM e 300 µM nanoencapsulada e pura dispersas em água, apresentaram uma diminuição significativa na atividade em relação ao controle. A análise cinética demonstrou que a luteína pura e encapsulada promoveu uma inibição do tipo mista na atividade da AChE com um valor de Ki igual a 264,4 µM e 261,6 µM, respectivamente. Assim, foi possível verificar a encapsulação da luteína pelo método de dispersão sólida e observar a inibição da luteína tanto livre quanto encapsulada na ação da acetilcolinesterase.
Abstract: The causes of Alzheimer’s (AD) disease have been the subject of intense investigation. At present, search by new medicine and treatments become important. This way, the lutein showed possible candidate to act as a medicine of AD, but, it instability the extern’s agents and it low solubility hamper its application, which can be bypassed with encapsulate techniques. The objective of this study was encapsulated lutein and assess their ability to act as inhibitory compound of AChE activity and determine it reaction kinetics. The method of solid dispersion was followed to obtain nanoparticles of polyvinylpyrrolidone containing lutein. For the characterization of the nanoparticles were performed the analyzes Differential Scanning Calorimetry (DSC), Fourier Transform Infrared (FTIR), X-ray Diffraction (DRX), Transmission Electron Microscopy (MET) and UV-Vis spectroscopy. Solution of lutein nanoparticles and pure in water and ethanol were test in vitro as AChE inhibitor by a method based on UV-Vis absorbance. The kinetic parameters (Michaelis-Menten constant (Km) and maximum velocity (Vmax)) were determined analysis of the enzymatic activity in water for lutein encapsulated a pure. The characterization showed the nanoparticles have spherical morphology and approximate diameter of the 200 nm, it was possible to demonstrated the effective encapsulation of lutein by PVP. The biologic tests the concentrations of 200 µM and 300 µM for the lutein pure and particles in water showed significantly differed of control. The kinetics analyses showed mixed-type inhibition by lutein encapsulated and pure with values of Ki of 265,4 µM and 261,6 µM, respectively. Therefore, were possible encapsulated lutein by the method of solid dispersion, and the lutein pure and encapsulate showed inhibition of the AChE activity.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/8556
Aparece nas coleções:CM - Engenharia de Alimentos

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
encapsulacaoluteina.pdf
  Disponível a partir de 5000-01-01
2,26 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir Solicitar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.