Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/8697
Título: Assédio moral: um risco à segurança do trabalhador
Título(s) alternativo(s): Moral harassment: a risk to worker safety
Autor(es): Camargo, Anaclara Ramazotti de
Orientador(es): Batista, Adilséia Soriani
Palavras-chave: Assédio no ambiente de trabalho
Danos morais
Segurança do trabalho
Bullying in the workplace
Moral damages (Civil law)
Industrial safety
Data do documento: 13-Jul-2017
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Londrina
Referência: CAMARGO, Anaclara Ramazotti de. Assédio moral: um risco à segurança do trabalhador. 2017. 51 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Londrina, 2017.
Resumo: Com o objetivo de identificar o grau de assédio em empresas de metal sanitário realizou-se a presente pesquisa através de cruzamento de informações obtidas na literatura com as informações obtidas através da análise de dados presentes em questionário aplicado aos trabalhadores de sete empresas do noroeste paranaense. Cada questionário continha 23 perguntas divididas em quatro grandes grupos, o primeiro onde as perguntas serviram para caracterizar os funcionários, o segundo grupo cujo objetivo era avaliar o grau de conhecimento de cada respondente sobre assédio moral e suas características; o terceiro determinava quais situações de assédio aquele respondente sofrera e sua frequência, e por fim, o último grupo tinha por objetivo determinar o impacto do assédio na vida do trabalhador respondente. Nota-se que praticamente metade da amostra tem consciência sobre o tema (58,7%), acreditam que já presenciaram situações de assédio (54,3%) e denunciariam essas situações (52,1%). Obteve-se resposta positiva de 23 respondentes quanto à percepção de assédio sofrido por eles próprios o que representa 25% da amostra. Esse valor é consideravelmente elevado principalmente se for levado em conta que somando a porcentagem dos que informaram talvez, obtém-se 44,6%. Outro dado preocupante encontrado foi sobre a divulgação do tema, 78% dos respondentes afirmaram que nunca ouviram sobre o tema na empresa em que trabalham. Ou seja, aqueles que têm consciência do tema obtiveram essas informações de outras fontes, podendo haver equívocos quanto àquilo que a pessoa acha que é assédio e o que realmente pode ser classificado como tal. Diante dos dados e informações levantadas é possível concluir que o tema assédio requer estudos mais aprofundados e que se proceda a pesquisas que envolvam outros segmentos e ramos empresariais, e possibilitem relacionar diretamente o assunto às ocorrências dos incidentes, acidentes e doenças do trabalho, sejam elas psíquicas ou não. Que as questões, traumas e tabus relacionados ao assédio sejam temas do cotidiano e preocupação de todos dentro da organização empresarial seja ela privada ou pública e que Leis deem conta de contemplar o assunto de forma direta e apresentem punições efetivas e eficazes contra os infratores. Recomenda-se ainda que se estabeleça política de prevenção onde nos treinamentos para Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), o assédio seja tema obrigatório assim como são as noções sobre a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS), conforme preconiza a Norma Regulamentadora 5. Também na Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (SIPAT), seja tema debatido a fim de conscientizar os trabalhadores desnaturalizando então as situações de assédio.
Abstract: With the objective of identifying the degrees of harassment in sanitary metal companies, the present research was carried out by crossing information obtained in the literature with the information obtained from questionnaires applied to workers from seven companies in the northwest of Paraná. Each questionnaire contained 23 questions divided into four major groups, the first one contained questions used to characterize the employees, the second group aimed to evaluate the degree of knowledge of each respondent about Moral Harassment and its characteristics; The third group determined which situations of harassment that individual had suffered and their frequency, and the last group was aimed at determining the impact of harassment on the worker’s life. It is noteworthy that almost half of the sample is aware of the issue (58.7%), believe that they have already witnessed harassment (54.3%) and denounce these situations (52.1%). A positive response was obtained from 23 respondents regarding the perception of harassment suffered by themselves, which represents 25% of the sample. This value is considerably high, especially if taken into account that the percentage of those who reported maybe, that number increases to 44.6%. Another worrying finding was about the dissemination of the topic, 78% of the respondents said they had never heard about it in the company they work for. Those who are aware of the subject have obtained this information from other sources, and there may be misconceptions as to what the person thinks Harassment is and what can actually be classified as such. In view of the data and information gathered, it is possible to conclude that the subject Harassment requires more in-depth studies and that research is carried out involving other segments and business sectors, and make it possible to directly relate the matter to the occurrences of incidents, accidents and occupational diseases, psychological or not. That the issues, traumas and taboos related to Harassment are daily issues and concerns of all within the business organization whether private or public and that Laws take into account to contemplate the matter directly and present effective and effective punishments against violators. It is also recommended that a prevention policy should be established where, in training for the Internal Commission for the Prevention of Accidents (CIPA), Harassment is a mandatory subject as well as the notions about Acquired Immunodeficiency Syndrome (AIDS), as recommended by Regulatory Standard 5 (NR-5). Also in the Internal Week of Prevention of Accidents of Work (SIPAT), is a topic to be debated in order to make workers aware of the harassment situations.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/8697
Aparece nas coleções:LD - Engenharia de Segurança do Trabalho

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LD_CEEST_V_2018_02.pdf1,98 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.