Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/8857
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorLimas, Mariana Emiko-
dc.date.accessioned2018-06-08T17:38:37Z-
dc.date.available2018-06-08T17:38:37Z-
dc.date.issued2016-06-08-
dc.identifier.citationLIMAS, Mariana Emiko. Determinação de compostos bioativos majoritários e atividade antioxidante em vinhos tintos. 2016. 66 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Química) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/8857-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Tecnológica Federal do Paranápt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectQuímicapt_BR
dc.subjectCompostos bioativospt_BR
dc.subjectAntioxidantespt_BR
dc.subjectVinho tintopt_BR
dc.subjectFenóispt_BR
dc.subjectFlavonóidespt_BR
dc.subjectAntocianinaspt_BR
dc.subjectChemistrypt_BR
dc.subjectBioactive compoundspt_BR
dc.subjectAntioxidantspt_BR
dc.subjectRed winespt_BR
dc.subjectPhenolspt_BR
dc.subjectFlavonoidspt_BR
dc.subjectAnthocyaninspt_BR
dc.titleDeterminação de compostos bioativos majoritários e atividade antioxidante em vinhos tintospt_BR
dc.typebachelorThesispt_BR
dc.description.resumoNas últimas décadas, ocorreu a crescente popularização do chamado “paradoxo francês”. Este paradoxo pode ser atribuído em parte ao alto consumo de vinho, rico em compostos bioativos, o que motiva pesquisas nessa área. O objetivo deste estudo foi avaliar vinhos tintos de mesa (suave e seco) de produção local de Curitiba e da Região Metropolitana em função da presença de compostos fenólicos totais (CFT), flavonóides (TFC), antocianinas monoméricas (AMT) e capacidade antioxidante. A análise de correlação de Pearson foi realizada entre todos os resultados obtidos e os mesmos foram submetidos também à análise de variância (ANOVA) e ao teste de Tukey, com um nível de significância de 5%. O conteúdo CFT apresentou correlação direta com o teor de TFC (0,9421, com p-valor de 0,00000465) e capacidade antioxidante através do método DPPH (0,6267, com pvalor de 0,0292); AMT se apresentou inversamente correlacionada à CFT e TFC; já o ensaio antioxidante ABTS não apresentou uma boa correlação com o CFT, indicando que há baixa associação entre eles. De maneira geral, as amostras de Tinto Seco apresentaram maiores concentrações de compostos bioativos nas análises, o que pode ser explicado pelas condições que envolvem a produção deste tipo de vinho influenciando na quantificação dos parâmetros no produto final. Alguns compostos fenólicos foram quantificados por cromatografia líquida de alta eficiência acoplada com arranjo de diodos (CLAE), sendo a catequina o composto mais abundante em todas as amostras. Os ácidos siríngico e vanílico apresentaram concentrações dentro das esperadas pela literatura. Da mesma maneira, tanto para Tinto Suave quanto para Tinto Seco, o resveratrol apresentou valores correlatos. Fatores como pressão de prensagem, tempo de maceração, espécie ou fatores climáticos podem influenciar nos resultados obtidos neste estudo.pt_BR
dc.degree.localCuritibapt_BR
dc.publisher.localCuritibapt_BR
dc.contributor.advisor1Haminiuk, Charles Windson Isidoro-
dc.contributor.referee1Schnitzler, Danielle Caroline-
dc.contributor.referee2Faria, Luiz Marcos de Lira-
dc.contributor.referee3Haminiuk, Charles Windson Isidoro-
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programBacharelado em Químicapt_BR
dc.publisher.initialsUTFPRpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA::QUIMICA ANALITICApt_BR
Aparece nas coleções:CT - Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CT_COQUI_2016_1_7.pdf982,08 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.