Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/9178
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorTiburcio, Juliana-
dc.date.accessioned2018-06-27T14:17:54Z-
dc.date.available2018-06-27T14:17:54Z-
dc.date.issued2017-02-08-
dc.identifier.citationTIBURCIO, Juliana. Utilização de areia reciclada de resíduo da construção civil e resíduos de garrafa PET para fabricação de blocos de concreto e argamassa. 2018. 99 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Londrina, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/9178-
dc.description.abstractPopulation growth increases consumption, causing a high generation of solid waste that can be disposed of improperly, reducing the useful life of the dumps. The construction waste represents a large part of Brazil's solid waste. Besides these residues there is the plastic waste classified as inert usually discarded incorrectly. In order to guide a suitable destination for these residues, the main objective of this work is to analyze the technical feasibility of the use of recycled aggregate and PET bottle particles in the manufacture of 1: 3 concrete blocks and mortars. Dimensional analysis for blocks and compressive strength at 7 and 28 days for blocks and mortars were performed. In the case of mortar, resistance was also studied at 14 days. To visualize the internal structure, the microscopic analysis was performed. In the case of the blocks, not all the analyzed samples reached the resistance required for the classification of blocks with structural function, being noticed a difference of 55% when the PET was added and 63% with the same aggregate in the mortars. In the microstructure assay it was possible to identify the largest number of voids when the PET was incorporated in the mixture. Finally, it was noticed that the insertion of the used residues brought good results in the case of 1:3 non-structural block and mortars because they reached the recommended minimum strength.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Tecnológica Federal do Paranápt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectResíduos industriaispt_BR
dc.subjectBlocos de concretopt_BR
dc.subjectResistência de materiaispt_BR
dc.subjectEstudos de viabilidadept_BR
dc.subjectFactory and trade wastept_BR
dc.subjectConcrete blochspt_BR
dc.subjectStrength of materialspt_BR
dc.subjectFeasibility studiespt_BR
dc.titleUtilização de areia reciclada de resíduo da construção civil e resíduos de garrafa PET para fabricação de blocos de concreto e argamassapt_BR
dc.title.alternativeUse of recycled sand from construction waste and PET bottle waste to manufacture concrete blocks and mortarpt_BR
dc.typebachelorThesispt_BR
dc.description.resumoO crescimento populacional aumenta o consumo, causando uma alta geração de resíduos sólidos que podem ser descartados de maneira inadequada, diminuindo a vida útil dos aterros. O resíduo da construção civil (RCC) representa uma grande parcela dos resíduos sólidos do Brasil. Além destes resíduos existe o resíduo plástico classificado como inerte descartado na maioria das vezes incorretamente. A fim de dar uma destinação adequado para estes resíduos, o presente trabalho tem como objetivo principal analisar a viabilidade técnica da utilização de agregado reciclado e partículas de garrafa PET na fabricação de blocos de concreto e argamassas 1:3. Foi realizada a caracterização dos agregados utilizados nas misturas (massa unitária, massa específica e granulometria) para definição dos traços. Definiu-se dois traços para os blocos de concreto da família 14 (14x19x34) e quatro para as argamassas 1:3. Foram feitos ensaios de análise dimensional para os blocos e de resistência à compressão aos 7 e 28 dias para os blocos e argamassas. No caso da argamassa estudou-se também a resistência aos 14 dias. Para visualizar a estrutura interna foi feita a análise microscópica. Para os blocos nem todas as amostras analisadas atingiram a resistência requerida para classificação de blocos com função estrutural, notando uma diminuição na resistência de 55% quando se agrega o PET e 63% com o mesmo agregado nas argamassas. No ensaio de microestrutura foi possível identificar o maior número de vazios quando se incorpora o PET na mistura. Por fim notou-se que a inserção dos resíduos utilizados trouxe bons resultados no caso de blocos de vedação e argamassas 1:3 por atingir a resistência mínima recomendada.pt_BR
dc.degree.localLondrinapt_BR
dc.publisher.localLondrinapt_BR
dc.contributor.advisor1Souza, Sueli Tavares de Melo-
dc.contributor.advisor-co1Peres, Fabiano Moreno-
dc.contributor.referee1Correa, Camila Zoe-
dc.contributor.referee2Oliveira, Rafael Montanhini Soares de-
dc.contributor.referee3Souza, Sueli Tavares de Melo-
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programEngenharia ambientalpt_BR
dc.publisher.initialsUTFPRpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA SANITARIApt_BR
Aparece nas coleções:LD - Engenharia Ambiental

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LD_COEAM_2017_2_15.pdf4,88 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.