Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/9549
Título: Quebra da emulsão óleo-água de fluído de corte degradado
Título(s) alternativo(s): Emulsion break oil-water degraded cut fluid
Autor(es): Pifano, Joyce Aparecida
Orientador(es): Prates, Katia Valeria Marques Cardoso
Palavras-chave: Fluidos em metaloplastia
Emulsões
Testes de toxicidade
Metal-working lubricants
Emulsions
Toxicity testing
Data do documento: 27-Nov-2017
Editor: Universidade Tecnológica Federal do Paraná
Câmpus: Londrina
Referência: PIFANO, Joyce Aparecida. Quebra da emulsão óleo-água de fluido de corte degradado. 2017. 52 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Londrina, 2017.
Resumo: O setor metal mecânico é uma atividade muito importante para a economia nacional. No entanto as atividades de usinagem de peças dependem do uso de fluidos de corte que, após o seu uso, tornam-se passivos ambientais perigosos. Nesse contexto, o presente trabalho teve como objetivo a quebra da emulsão dos fluidos de corte degradados, do tipo emulsionáveis, e a análise da fase aquosa obtida. Para realizar a quebra da emulsão, foi avaliada a influência do pH, da concentração de Cloreto de Cálcio e Cloreto de Magnésio, utilizando o planejamento estatístico Delineamento do Composto Central Rotacional (DCCR) em 45 ensaios. Os resultados foram analisados estatisticamente com nível de significância de 5% e, por meio das superfícies de resposta obtidas, pode-se localizar o ponto de ótimo das variáveis estudadas. Foi verificado que os melhores resultados foram aqueles com adição 73,5g/L de Cloreto de Cálcio e pH 13. O uso do Cloreto de Magnésio não apresentou resultados satisfatórios. Devido a grande quantidade de Cloreto de Cálcio e Cloreto de Magnésio utilizados nos experimentos, a fase aquosa obtida nos três melhores resultados apresentaram alcalinidade e dureza elevadas, apesar de o pH ter sido reduzido. Analisando a toxicidade do efluente bruto e das fases aquosas, observou-se a inibição do crescimento das raízes de Allium cepa variando de 71,3% a 88,6%, devido também às altas concentrações de sais.
Abstract: The metalworking sector is a very important activity for the national economy. However the machining activities of parts depend on the use of cutting fluids, which after use become hazardous environmental liabilities. In this context, the present work had the objective of breaking the emulsion of the degraded cutting fluids, of the emulsionable type, and the analysis of the aqueous phase obtained. The influence of the pH, the concentration of Calcium Chloride and Magnesium Chloride was evaluated in order to perform the emulsion breakdown, using the statistical design of the Rotational Central Compound (DCCR) in 45 tests. The results were statistically analyzed with significance level of 5% and, through the obtained response surfaces, the optimum point of the studied variables could be located. It was shown that the best results were those with 73.5 g / L addition of Calcium Chloride and pH 13. The use of Magnesium Chloride did not present satisfactory results. Due to the great use of Calcium Chloride and Magnesium Chloride in the samples, the aqueous phase obtained the three best results presented high alkalinity and hardness, although the pH has reduced. Analyzing the toxicity of crude effluent and aqueous phases, inhibition of root growth of Allium cepa ranging from 71.3% to 88.6% is observed, also due to the high salt concentrations.
URI: http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/9549
Aparece nas coleções:LD - Engenharia Ambiental

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LD_COEAM_2017_2_14.pdf1,19 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.